Moscas Mortas Revolution – Página Inicial

Letramento dos Livros Didáticos (p.3)

Posted in Educação by leonardomeimes on 24/09/2009

livro-didatico1

Para comparar com as conclusões, da segunda parte sobre a situação das três práticas discursivas e da análise lingüística nos

LDs de ensino fundamental, com as do ensino médio, veremos antes as conclusões do livro de Cleto Bunzen e Márcia Mendonça. Nesse livro existe um artigo de Roxane Rojo e Shirley Jurado que mostra o trabalho com a leitura de um trecho de “Macunaíma” em um livro didático do ensino médio.

As autoras mostram que o trabalho se deu de forma induzida e limitada, apenas alguns conhecimentos específicos eram requeridos e a análise do estilo, para a apreciação crítica literária, teve problemas, pois os trechos eram descontextualizados. Sobre a escrita um artigo de Cleto Bunzen traça uma evolução do trabalho com a escrita des do século XVIII até hoje, passando por várias abordagens de texto e língua até chegar nos 80 e 90. Ao fim de sua análise, o autor percebe que, apesar da evolução das teorias, os professores que hoje atuam em sala foram formados em linhas tradicionais e estruturalistas e, portanto, não dão conta de um trabalho eficaz com o texto.

Da mesma forma os LDs tiveram melhorias mais ainda deixam a desejar em alguns aspectos como a inter-relação entre as atividades de escrita, leitura e oralidade e a contextualização as produções.

Continua…

Leonardo Meimes e Fernanda Calvetti

Letramento dos Livros Didáticos (p.2)

Posted in Educação by leonardomeimes on 23/09/2009

leitura Começando pelo livro de Roxane Rojo e Antônio Batista, ele complementa a formação dos futuros professores com uma análise detalhada de aspectos dos LDs (Livros Didáticos) avaliados pelo PNLD 2002. O PNLD é a avaliação da composição dos LDs coordenada pela Comdipe (Coordenação Geral de Avaliação de Materiais Didáticos e Pedagógicos) e pelo SEF (Secretaria da Educação Fundamental). Cada articulista abordou uma parte da composição dos livros avaliada e destaca-se o trabalho de reunião e análise dos dados do PNLD.

Um artigo desse livro, de Sheila Grillo e Fernanda Cardoso, nos mostra como a leitura é tratada nos LDs, reiterando a abordagem da linguagem como resultado de fatores extras e intralingüísticos (particularmente com as teorias de Bakhtin). A análise das autoras mostra que o trabalho com as condições de produção dos textos lidos é precário. Outros fatores mostram uma melhoria pequena (diversificação de gêneros; apresentação dos dados dos autores; elementos do contexto de produção e comunicação), mas não garantem a eficácia dessas atividades de leitura que precisam de alguns ajustes para se tornarem adequadas. Outro artigo interessante, de Maria da Graça Costa Val, mostra que as atividades de escrita também subjazem ainda uma concepção tradicionalista, distante da de Bakhtin, sobre a linguagem. A autora desse artigo verificou que as produções de texto não consideravam, na maioria dos casos, avariação lingüística, não davam aos alunos as condições de produção, a estrutura composicional do texto e não previam o planejamento e revisão/reelaboração dos textos dos alunos.

99664548_967bf0f102_o

Dois resultados dessa pesquisa facilmente previsíveis foram os da análise lingüística e da oralidade. O artigo de Kátia Lomba Bräkling, sobre a gramática nos LDs, mostra que claramente os autores desses LDs ainda não conseguem abordar a gramática de forma reflexiva, pois cerca de 80% do trabalho com a gramática se deu de forma transmissiva e não privilegiou o “uso-reflexão-uso” previsto nas diretrizes. Quanto à oralidade, o artigo, de Paulo Eduardo Mendes da Silva e Cristiane Cagnoto Mori-de-Angelis, mostra que as atividades são precárias, não consideram fatores importantes como as variedades orais formais e públicas, os gêneros orais e apenas usam a oralidade como instrumento de interação entre o aluno e o professor, raramente, atentando para adequação a situação e destinatário.

Continua…

Leonardo Meimes e Fernanda Calvetti

Letramento nos Livros Didáticos (p. 1)

Posted in Educação by leonardomeimes on 22/09/2009

livro-amigo1Próxima série: Educação! Como nossos livros didáticos estão ajudando ou atrapalhando o ensino? É isso que vamos ver numa pequena resenha que fiz sobre os livros de Cleto Bunzen e Roxane Rojo, que trazem um material essencial para todos os professores de língua portuguesa.

ROJO, R. H. R. (Org.) ; BATISTA, A. A. G. (Org.) . Livro Didático de Língua Portuguesa, Letramento e Cultura da Escrita. 1. ed. Campinas: Mercado de Letras, 2003. v. 1. 320 p.

BUNZEN, C. S. (Org.) ; MENDONÇA, M. (Org.) . Português no ensino médio e formação do professor. 1. ed. São Paulo: Parábola, 2006. v. 01. 254 p.

Existe claramente uma preocupação nos meios acadêmicos de Letras com o ensino da língua portuguesa e com a metodologia utilizada em sala de aula, que deixam lacunas na formação dos leitores e escritores de nosso país. As contribuições relevantes, tanto das áreas lingüísticas como das áreas metodológicas para o ensino, nos fizeram repensar, os processos de aprendizado da língua e da cultura por trás dela. Respondendo as expectativas dos profissionais da área, dois livros recentemente lançados são uma ajuda essencial para que o “repensar o ensino” seja mais eficaz e principalmente fundamentado.

Leonardo Meimes e Fernanda Calvetti Corrêa)