Moscas Mortas Revolution – Página Inicial

O fator grosseria na campanha de Serra

Posted in Uncategorized by leonardomeimes on 29/09/2010

É necessário conhecer um pouco os efeitos dessa grosseria de Serra com os prefeitos do PSDB, para entender a razão da votação esperada de Geraldo Alckmin ser tão superior a dele no estado de São Paulo. Ou entender a razão da debandada dos prefeitos do PMDB, depois que Orestes Quércia abandonou a campanha ao Senado por problemas de saúde.

Desde o dia em que botou os pés no Palácio Bandeirantes, na condições de governador, Serra assumiu a postura de um Imperador. Conhecidos de muitos anos se espantavam com o deslumbramento de um quase septuagenário. Parecia que Serra se vingava de anos e anos em que ficou em segundo plano, seja como Secretário de Montoro ou Ministro de FHC, seja como filho de uma família de classe média do Braz.

A educação nunca foi seu forte. Em geral, atribuía-se sua grosseria a uma suposta timidez, embora a maioria dos tímidos seja recatada.

No poder, extrapolou.

Conseguiu criar no próprio PSDB resistências até mais fortes do que o anti-petismo do PSDB paulista. E explica em grande parte sua derrota clamorosa em São Paulo. O próprio afastamento do campeão d votos do partido, Gabriel Chalita, se deu depois dele esperar por cinco horas ser recebido por Serra.

Como se recorda, o Serra planejava sair de São Paulo com 5 milhões de votos de vantagem. O PT, mais otimista, esperava perder por apenas 2 milhões. Provavelmente Dilma terá 5 milhões a mais que Serra justamente no estado em que os tucanos sempre foram mais fortes.

Na raiz de tudo, uma antipatia generalizada dos prefeitos tucanos em relação a Serra.

Em Marília, reduto tucano, o prefeito Mário Bulgarelli jurou publicamente jamais apoiar Serra, embora preste todo apoio a Alckmin.

Sua bronca decorre de uma sucessão infindável de grosserias de Serra, contra ele e contra terceiros. A começar do fato de jamais ter sido recebido no Palácio Bandeirantes, nem por Serra nem por Aloizio Nunes.

Foi a menor das grosserias.

Recorda-se de um evento das Fatecs no Palácio Bandeirantes. Houve um concurso para o desenvolvimento de inovações. Marília venceu em primeiro, com um tipo de quitute; Bauru ficou em segundo. Somados, dois colégios eleitorais com 750 mil pessoas.

A premiação foi no Palácio Bandeirantes. Prefeitos, deputados, diretores de Fatec, alunos reunidos, mais Geraldo Alckmin e o prefeito Gilberto Kassab. Serra entra, não cumprimenta ninguém, recusa o quitute que foi-lhe oferecido por uma mocinha simpática, sem lhe dar satisfação, sequer agradecer a gentileza.

A diretora do Paula Santos fez um discurso e em determinado momento mencionou uma estatística qualquer. Falou em 500. Serra começou seu discurso sem saudar nenhum dos presentes e dando uma bronca nela. Não eram 500, mas 496 e não se devia exagerar nos dados. A senhora, de branca ficou rubra, causando constrangimento geral nos presentes.

Segundo o prefeito, vendo sua indignação Alckmin lhe fez um sinal conformado tipo “não ligue”. Kassab estava constrangido, sussurrando frases tipo “o que fazer”. Todos envergonhados com a grosseria pública de Serra.

Noutra feita, Serra veio a Marília. A cidade tem uma estrada de contorno necessitando de recapeamento. Antes do início da solenidade, um assessor de Serra informou o prefeito que o recapeamento estaria sendo providenciado. O prefeito subiu ao palanque, falou antes do governador, e agradeceu a promessa do recapeamento.

Serra tomou a palavra e chamou o prefeito de mentiroso na frente de todo mundo. Disse que jamais tinha prometido nada.

O deputado estadual da região, político de 240 mil votos, também não quer ver Serra nem pintado.

É uma bronca tão grande que, quando fala de Serra, o prefeito – sujeito calmo e afável – avermelha e despeja toda sorte de adjetivos: “Presunçoso, mal educado, grosseiro, egocêntrico,

arrogante…”.

(Do Luis Nassif  Online, http://www.brasilianas.org/luisnassif )

Yeda Cruisius (PSDB) quebra sigilo de 96.000 pessoas no RS

Posted in Política by leonardomeimes on 23/09/2010

O chefe de Gabinete da governadora Yeda Crusius (PSDB), Ricardo Lied, foi exonerado. Um dos nomes de maior confiança de Yeda, Lied teve a exoneração publicada pelo Diário Oficial do estado na terça-feira (21), mesmo dia em que surgiram mais 29 nomes de políticos, procuradores, militares, delegados, advogados, jornalistas e empresários espionados ilegalmente através do Sistema de Consultas Integradas, da Casa Militar, do Palácio Piratini.

Também anteontem, a promotoria de Justiça que investiga o caso revelara que o nome de Lied aparece em e-mails trocados com a Casa Militar. Em uma das mensagens, de 2008, o chefe de gabinete pedia informações sigilosas sobre o ex-deputado estadual Luis Fernando Schmidt (PT).

Desde a prisão do sargento César Rodrigues de Carvalho, da área de inteligência da Casa Militar, que precipitou outra crise no governo gaúcho, Lied passou a ser um dos personagens mais referidos no escândalo da arapongagem. Citado pelo sargento como um dos superiores de quem recebia ordens para acessar dados sigilosos, Lied deverá ser um dos próximos depoentes na investigação dirigida pelo promotor Amílcar Macedo.

Ricardo Lied tem negado qualquer implicação nas violações de sigilo. Uma primeira denúncia contra ele foi feita em 2009 pelo então ouvidor da segurança pública Adão Paiani, mas não surtiu qualquer efeito. Ao contrário, o chefe de Gabinete continuou prestigiado pela governadora, que demitiu o denunciante. Na época, Paiani apresentou oito gravações de áudios à OAB, autorizadas judicialmente, quatro delas mostrando Lied em conversa com o vereador Márcio Klaus (PSDB), do município de Lajeado.

No sétimo diálogo, captado às 21h14 de 16 de setembro, Lied e Klaus discorrem sobre a ficha do então candidato do PT à Prefeitura de Lajeado, Luis Fernando Schmidt, e também os investimentos dos governos federal e estadual na região:

Klaus pergunta a Lied: “Ô Ricardo, aquela questão tu ficou devendo, aquele negócio lá do PT.”

O chefe de gabinete responde: “O que?”.

E Klaus: “O negócio do DAER e a ficha do Luis Fernando…”

Lied: “Não tem nada o Luis Fernando (Schmidt). Não tem nada na ficha dele; nada, nada, nada; eu tenho comigo, não tem nada; ele só tem uma perda de documento. Nunca teve nada na ficha”.

Klaus insiste: “E o negócio do DAER (Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, órgão estadual)?

Lied – “O negócio do DAER eu não passei porque quem mais fez investimento foi o PT. O PT pagou 6 milhões, a Yeda tá pagando 400 mil e ainda tem que pagar 1,6 milhão atrasados. Quem mais teve investimento foi o PT (…)”

Cerca de 96.000 acessos de dados sigilosos foram realizados através do sistema operado no Palácio Piratini em menos de dois anos – em 2009 e até agosto de 2010. Mais de 60 vítimas foram identificadas até agora pela promotoria. Da relação constam, por exemplo, o ex-ministro Tarso Genro, hoje candidato ao governo gaúcho pelo PT, o senador Sérgio Zambiasi (PTB), um deputado federal, quatro deputados estaduais, entre eles a presidente da CPI da Corrupção, Stela Farias (PT), que vasculhou os bastidores da administração tucana.

Também aparecem como tendo seus dados acessados o procurador federal Adriano Raldi, que denunciou a governadora por improbidade administrativa, além do então marido de Yeda, Carlos Crusius, mais assessores e aliados políticos – posteriormente Yeda foi retirada da ação, que tramita na Justiça Federal, por ter foro privilegiado. E empresários como Jayme Sirotsky, presidente emérito do grupo RBS e integrante do comitê executivo da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP).

http://blogdadilma.blog.br/2010/09/rs-cai-chefe-de-gabinete-de-governadora-tucana-suspeito-de-espionagem.html

Escândalo !!! Revelado o MENSALÃO DA MÍDIA !

Posted in Uncategorized by leonardomeimes on 23/09/2010

No Diário Oficial do governo de São Paulo na gestão Serra, foi descoberto o maior esquema de compra de órgãos de imprensa já registrado na história da república. É o fato que comprova a total cumplicidade das grandes mídias e a candidatura do tucano José Serra nessas eleições: em destaque Veja, Globo, Folha e Estadão. O esquema aparentemente tinha por missão desgastar o governo Lula para atrapalhar a sua sucessão, mas agora age como tropa de choque para desgastar a candidata petista, enquanto encobre ou dá pouco espaço a notíciais que atinjam a candidatura tucana.
Veja alguns desses contratos encontrado no Diário Oficial do governo tucano:

27/maio/2010
Contrato: 15/00548/10/04
– Empresa: Editora Brasil 21 Ltda.
– Objeto: Aquisição de 5.200 Assinaturas da “Revista Isto É” – 52 Edições – destinada as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado São Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 365 dias
– Valor: R$ 1.203.280,00
– Data de Assinatura: 18/05/2010

28/maio/2010
Contrato: 15/00545/10/04
– Empresa: S/A. O ESTADO DE SÃO PAULO
– Objeto: Aquisição de 5.200 assinaturas do Jornal “o Estado de São Paulo” destinada as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado São Paulo – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 365 dias
– Valor: R$ 2.568.800,00
– Data de Assinatura: 18/05/2010.

29/maio/2010
Contrato: 15/00547/10/04
– Empresa: Editora Abril S/A
– Objeto: Aquisição de 5.200 assinaturas da Revista “VEJA” destinada as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado São de Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 365 dias
– Valor: R$ 1.202.968,00
– Data de Assinatura: 20/05/2010.

Somente a revista Veja e mais 4 “pedagógicas” foram responsáveis pelo assalto de mais de 34 milhões dos cofres públicos dos contribuintes paulistas. A revista Nova Escola, que está sob investigação do Ministério Público Estadual, tem 1/4 de suas vendas na conta do governo Serra, são 220 mil assinatural que engordaram em mais de R$ 3,7 milhões os caixas da editora Abril.

O esquema ardioloso não só tem como função aparelhar os meios de comunicação regados com dinheiro público, como ainda através da própria compra distribuir nas escolas essas imprensa aparelhadas. Isto é, não se trata apenas de aparelhar os maiores meios de comunicação do país, mas de usar o sistema escolar para disseminar publicações tendenciosas como propaganda política disfarçada de noticiário, sobretudo, como arma de difamação contra adversários políticos.

Enquanto as mídias atacam hipocritamente o PT e o governo Lula acusando de ameaçar a imprensa e querer controlá-la, distorcendo a proposta de controle social da mídia que é uma cláusula constitucional e estava presente no PNAD do governo FHC – vemos que na verdade estão na verdade fazendo a defesa de seu atual controle, o controle tucano – e o povo paulista está ainda tendo que pagar para sofrer lavagem cerebral. Absurdo?

Quem na grande mídia romperá o silêncio e denunciará esse crime político hediondo?

Fonte: Diário Oficial do governo de São Paulo

Folha torna-se novamente aparelho do crime no Brasil

Posted in Política by leonardomeimes on 23/09/2010

Mauro Carrara

Fonte: Blog da Dilma

A empresa que edita a Folha de S. Paulo foi braço físico da Ditadura Militar e da repressão.

Seu jornal Folha da Tarde era um QG dos grupos que sequestravam, torturavam e matavam.

A Folha de S. Paulo apoiou convenientemente os assassinos militares até o governo Geisel.

Depois, por motivos comerciais, vestiu a pele de cordeiro.

Recentemente, passou a delinquir novamente.

Passou a chamar a Ditadura de “Ditabranda”.

Forjou com o grupo Ternuma uma falsa ficha de Dilma Rousseff.

E agora comete o mais grave crime de campanha, ao construir uma fábula de calúnia acerca da gestão da candidata do PT na Secretaria de Minas e Energia do Rio Grande do Sul e na Fundação de Economia e Estatística (FEE), entre 1991 e 1992.

As expressões utilizadas na matéria comprovam o CRIME de calúnia: “apontam favorecimento” e “mostram aparelhamento”.

A matéria foi produzida a partir de uma investida de “jagunços” autoritários da Folha que passaram dias no Rio Grande do Sul exigindo, ofendendo e ameçando pessoas, especialmente aquelas que cuidam dos arquivos públicos.

Mas em que parte da reportagem os agentes do PSDB travestidos de jornalistas mostram que todas as contas de Dilma foram aprovadas pelo TCE gaúcho?

A pergunta é: como podem promotores e juízes eleitorais autorizar esse tipo de crime de natureza eleitoral?

E os outros promotores e juízes: como podem permitir que a imprensa se transforme num instrumento de calúnia e destruição de reputações?

A ordem democrática vem sendo gravemente ameaçada mais uma vez.

Globo-Abril-Folha-Estadão seguem à frente nesta escalada neofascista, destinada a destruir a ordem institucional.

Que o partido de Dilma Rousseff leve sua justa reclamação ao horário da TV.

Os brasileiros de bem já não admitem a impunidade para os criminosos midiáticos.

CORRUPÇÃO SISTÊMICA – FHC, SERRA & CIA

Posted in Política by leonardomeimes on 23/09/2010

(*) Texto de Ester Neves

Fonte: Blog da Dilma

Penso que corrupção é tudo que se pratica no sentido de contribuir para o apodrecimento do tecido social e degradação da vida. Por esse prisma identifico a corrupção praticada em duas frentes: a chamada corrupção endêmica, porque é uma praga que campeia no seio da humanidade, em maior ou menor grau, desde que o homem existe sobre a face da terra, e a corrupção sistêmica. Essa favorecida pelas leis criadas sob a égide da moral do mundo cão em que vivemos, onde o que importa é o “ter” em detrimento do “ser”.

Como diria o meu saudoso pai, Serra promete “mundos e fundos, mas depois não dá nem fundos imundos”. Isso porque é da natureza do seu partido, por uma questão de filosofia e princípios doutrinários, adotar política econômica que não leva em conta as reais necessidades do povo. Entenda a política econômica do PSDB aqui.

Favorecem, primordialmente, a especulação financeira, em prejuízo da produção de riquezas efetivas. Uma política econômica que privilegia o capital alienígena em detrimento das condições de sobrevivência do povo (emprego e renda), e promove um verdadeiro genocídio ao redor do mundo, através da globalização. E depois o Sr. Serra vem dizer que é a favor da vida? Deveria ser honesto e admitir que é à favor da vida dos seus iguais, pois não é à toa que a sua filinha atua nessa área do capital especulativo, também chamado de moedas podres ou capital volátil, e enriqueceu.

Procure saber como funcionam as empresas offshores semeadas em paraísos fiscais do Caribe pela filha – e sócia — do ex-governador, Verônica Serra, e por seu genro, Alexandre Bourgeois.

Não há dúvidas de que todos esses tucanos, que ficam apavorados com a possibilidade de se fazer um dossiê com seus dados fiscais, foram agentes da corrupção sistêmica generalizada, promovida na era FHC. Esses senhores que atuavam no “limite da irresponsabilidade”, conforme foi dito por um deles, no diálogo divulgado das conversas telefônicas grampedas, no BNDES.

A bem da verdade, não é apenas os tucanos que ficam apavorados. Mas, toda a elite, inclusive a grande mídia, que sempre mamou nas tetas do governo, à custa das mazelas impostas ao povo.

O cidadão tem direito a ter os seus sigilos fiscais preservados. Mas, o que é inaceitável é a forma tendenciosa e imoral como a mídia trata a questão. Na era FHC, em todos os casos de graves indícios de corrupção ela fingiu-se de morta. Agora, por que esse estardalhaço todo? Não foram só os tucanos que tiveram seus dados cadastrais acessados. Até o presidente Lula e sua família foram vítimas. E Serra sabia disso, desde outubro de 2009. Veja aqui.
Não dá para acreditar na indignação do Serra, um ano depois do fato ocorrido.

Embora a verdade esteja sendo sonegada pela grande mídia, na internet existem matérias esclarecedoras, para quem tiver interesse em saber a verdade e não se deixar manipular, conforme estas que indico abaixo:
Matéria de 14/10/2002 (era FHC) sobre a Empresa da filha de Serra em Miami, com a função de agenciar licitações públicas no Brasil.

Filha de Serra expôs sigilo de 60 milhões de brasileiros – Em 30 de janeiro de 2001, o peemedebista Michel Temer, então presidente da Câmara dos Deputados, enviou um ofício ao Banco Central, comandado à época pelo economista Armínio Fraga. Queria explicações sobre um caso escabroso. Naquele mesmo mês, por cerca de 20 dias, os dados de quase 60 milhões de correntistas brasileiros haviam ficado expostos à visitação pública na internet, no que é, provavelmente uma das maiores quebras de sigilo bancário da história do País. O site responsável pelo crime, filial brasileira de uma empresa argentina, se chamava Decidir.com e, curiosamente, tinha registro em Miami, nos Estados Unidos, em nome de seis sócios. Dois deles eram empresárias brasileiras: Verônica Allende Serra e Verônica Dantas Rodenburg.

Está previsto para ser lançado no próximo ano o livro do jornalista Amaury Jr, sobre toda a corrupção que houve no governo FHC, com as imorais privatizações. As revelações contidas apenas na apresentação desse livro já alopraram o Sr. Serra. Imagina quando for publicado todo o conteúdo do livro? Já da para imaginar a podridão.

Com a leitura desses textos qualquer um entende muito bem o que está em jogo e tentam esconder com esse estardalhaço todo da quebra de sigilo fiscal dos tucanos.

(*) Ester Neves é escritora – autora, entre outros, dos seguintes livros: 1) Uma Ex-tucano Que Caiu na Real; 2) O Papel Social da Mulher Cristã; 3) Frágil? Nem Tanto – A História de Uma Trabalhadora Brasileira Vítima do Neoliberalismo.

A última pesquisa DATAFOLHA/FOLHA DE SÃO PAULO foi manipulada

Posted in Política, Uncategorized by leonardomeimes on 23/09/2010

Daniel Bezerra

Fonte: Blog da Dilma

A última pesquisa DATAFOLHA/FOLHA DE SÃO PAULO que mostrou DILMA com 49%(2 pontos a menos), SERRA com 28%(subiu 1 ponto) e MARINA com 13%(2 a mais) foi manipulada. Isso mesmo, MANIPULADA para mostrar que a chuva de denúncias feita pela Mídia(PIG) deu resultado. O DATAFRAUDE perguntou aos entrevistados sobre o envolvimento da DILMA ROUSSEFF no suposto escândalo envolvendo EUNICE GUERRA. O objetivo do DATAFRAUDE era induzir no eleitor a culpabilidade de Dilma Rousseff.
CUIDADO ELEITOR, essas pesquisas foram MANIPULADAS!

O modo tucano de operar: R$ 3 milhões mensais

Posted in Política by leonardomeimes on 23/09/2010

O deputado estadual Ary Rigo (PSDB), primeiro-secretário da Assembléia Legislativa de Mato Grosso do Sul e principal operador político do governador serrista André Pucinelli, conta detalhes do esquema de corrupção.

Está tudo aí:  a  própria Assembléia, o Tribunal de Justiça, o Ministério Público e o prefeito de Dourados (hoje incomunicável numa prisão estadual).

A grana era de R$ 3 milhões mensais.

Em Campo Grande e nas principais cidades do Estado a revolta toma conta da população. Em poucas horas mais de 50 mil pessoas viram no Youtube o vídeo abaixo, gravado sem que o tucano Ary Rigo soubesse.

Lula indicado para a lista do Premio Nobel da Paz 2010‏

Posted in Política by leonardomeimes on 22/09/2010

Andrea Schilz

O Nobel da Paz é um dos cinco Prémios Nobel, legado pelo inventor da dinamite, o sueco Alfred Nobel. Os prémios de Física, Química, Fisiologia/Medicina, Literatura e Economia são entregues anualmente em Estocolmo, sendo o Nobel da Paz atribuído em Oslo. O Comité Nobel norueguês, cujos membros são nomeados pelo Parlamento norueguês, tem a função de escolher o laureado pelo prémio, que é entregue pelo seu presidente actualmente o ex-primeiro-ministro, ex-ministro dos negócios estrangeiros, ex-presidente do Stortinget (parlamento) e actual Secretário-Geral do Conselho da Europa Sr. Thorbjørn Jagland.

Actualmente há um sexto prémio: o Nobel da Economia também atribuído pela Academia Real das Ciências Sueca. Este prémio instituído em 1968, comemorando o 3º centenário do Banco Central da Suécia (Sveriges Riksbank) é oficialmente designado “Pris i ekonomisk vetenskap till Alfred Nobels Minne (Prémio em ciência económica à memória de Alfred Nobel).

Na altura da morte de Alfred Nobel, a Suécia e a Noruega estavam em União desde 14 de janeiro de 1814, pela qual o parlamento sueco ficava responsável pela política internacional, estando o Stortinget (Parlamento norueguês) apenas encarregado da política interna norueguesa. (A União desfez-se de uma forma pacífica a 13 de Agosto de 1905). Alfred Nobel decidiu, assim, que fosse a Noruega a decidir o laureado pelo Nobel da Paz, de forma a prevenir a influência de poderes políticos internacionais no processo de atribuição do Nobel.

De acordo com a vontade de Alfred Nobel, o prémio deveria distinguir “a pessoa que tivesse feito a maior ou melhor acção pela fraternidade entre as nações, pela abolição e redução dos esforços de guerra e pela manutenção e promoção de tratados de paz”.

Ao contrário dos outros prémios Nobel, o Nobel da Paz pode ser atribuído a pessoas ou organizações que estejam envolvidas num processo de resolução de problemas, em vez de apenas distinguir aqueles que já atingiram os seus objetivos em alguma área específica. É, portanto, um prémio Nobel com características próprias.

A Jornalista Leda do Prado , apresentou em novembro de 2009, um programa de tv: especial para o Presidênte da Republica, futuro candidato ao Premio Nobel da PAZ-Presidênte : pela sua mediação nos grandes Conflitos Internacionais,taís como:IRAN , ESTADOS UNIDOS , VENEZUELA ,COLONBIA .V. Excelencia Sr. Luís Inácio Lula da Silva.

Serra faz promessas, mas mostra desconhecimento sobre o Bolsa Família

Posted in Uncategorized by leonardomeimes on 22/09/2010

EDUARDO SCOLESE

EDITOR-ASSISTENTE DE PODER (sic)

Ao falar nesta terça-feira sobre a promessa de criar uma espécie de 13ª parcela do Bolsa Família, o presidenciável tucano, José Serra, demonstrou desconhecimento do principal programa de transferência de renda do país.
Numa rápida entrevista em São Paulo, Serra falou dois minutos sobre o Bolsa Família. Nesse intervalo, cometeu dois deslizes.
Primeiro vinculou equivocadamente o valor do salário mínimo aos critérios de inclusão no programa.
“O salário mínimo de R$ 600 [outra promessa do tucano] vai ampliar quantitativamente o número de famílias do Bolsa Família. Porque hoje o critério está relacionado com o salário mínimo. Meio salário mínimo per capita, alguma coisa assim. O salário mínimo sendo mais alto mais famílias entram no Bolsa Família”, declarou o tucano.
O valor do salário mínimo (R$ 510), na verdade, é usado para a inclusão das famílias no Cadastro Único. São cadastradas nesse banco de dados (coordenado pelo governo federal e abastecido pelas prefeituras) as famílias com renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa (hoje R$ 255).
Já o critério para inclusão no Bolsa Família é outro. O “corte” de renda é definido com base em dados do IBGE e na inflação acumulada. Hoje estão aptos para receber o cartão aquelas com renda per capita mensal de até R$ 140. Ou seja, quanto maior o salário mínimo, em tese será menor o número de famílias atendidas pelo programa, já que avançaria também a renda por pessoa.
Na mesma entrevista desta terça, o segundo deslize de Serra veio ao discorrer sobre a necessidade de manter o benefício às famílias com pessoas empregadas. O tucano disse que definirá um prazo (“será mais de um ano”) no qual a família poderá acumular um novo emprego e o cartão do programa. Esse prazo já existe. É de dois anos e foi definido em decreto de 2008.
Hoje 12,6 milhões de famílias recebem o Bolsa Família, todas elas antes incluídas no Cadastro Único, esse com cerca de 20 milhões de famílias e que serve como banco de dados oficial de pessoas de baixa renda.

Brucutus do Serra são campeões de baixaria na internet

Posted in Política by leonardomeimes on 22/09/2010

Paulo Henrique Amorim

A baixaria eleitoral na internet é antiga, mas nunca um candidato à Presidência reagiu a ela com tanta indignação quanto José Serra. Na segunda-feira 13, o tucano voltou a atacar o que chama de “blogs sujos” ligados à rival petista Dilma Rousseff. De acordo com ele, essas páginas na web teriam veiculado informações obtidas com a quebra do sigilo fiscal de figuras ligadas ao PSDB, entre elas o vice-presidente do partido, Eduardo Jorge. Em sabatina na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o presidenciável bradou: “Se essas pessoas fazem isso hoje, numa campanha, imaginem o que fariam com o poder nas mãos?”

É certo que uma parte truculenta da militância petista extrapola os limites do bom senso e do convívio democrático, mas nem chega perto dos brucutus pró-Serra que infestam a internet. É, ao menos, o que se pode concluir ao se analisarem dados coletados pelo Observatório das Eleições 2010, ligado ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para a Web (o InWeb). Segundo o levantamento, nenhum outro candidato foi vítima de uma rede tão feroz de boataria e ataques rasteiros como Dilma Rousseff. Especialmente no Twitter, rede social na qual os usuários podem se esconder atrás de perfis falsos.

Como diz o Ciro Gomes:  Serra numa campanha garantia de baixaria.