Moscas Mortas Revolution – Página Inicial

Os EUA não estão nem ai para a democracia e para os direitos humanos

Posted in Política by leonardomeimes on 17/02/2011

Várias ditaduras árabes estão vendo seu povo se revoltar… Ok, isso é ótimo, mas é a posição dos EUA que me preocupa, alguma vez alguém já leu algum pronunciamento de Obama ou Bush sobre esses países antes das revoltas? Apenas sobre o Irã! Porque essa fixação pelo Irã? Terá algum motivo escondido por baixo do solo Iraniano? $_$.

É incrível perceber que enquanto as ditaduras são fora dos EUA, são à favor das políticas dos EUA e são opostas ao Irã, para os EUA a democracia não importa… ou melhor só existe dentro de seu território, pois fora é mais fácil controlar governos se os líderes são ditadores.

Os EUA estavam financiando o governo de Hosni Mubarak, com grandes quantidades de dólares, sendo assim assumiam a posição de aliados do ditador, que incrível agora ver os EUA pedindo que ele renunciasse como se sempre tivessem sido contra ele.

Além disso, a imprensa coloca todos os abusos do Irã na capa, e esquece que Mianmar, Somália e muitos outros países tem problemas e repressão tão absurdos como no Irã, apenas não tem riquezas que façam os países ocidentais se importarem com eles

Pergunto, se era tão absurdo o que acontecia no Iraque, a ponto dos EUA quererem atacar, porque não invadir:

a Somália e libertar o povo? Instaurar uma democracia na Somália em 91, impediria que mais de 300.000 pessoas morressem de fome por causa do governo militar que não dava a mínima para o povo (apenas a ONU interviu e minimamente);

a Somália e libertar o povo? Instaurar uma democracia na Somália em 91, impediria que mais de 300.000 pessoas morressem de fome por causa do governo militar que não dava a mínima para o povo (apenas a ONU interviu e minimamente);

Uganda em 71? quando Amin matou mais de 300,000 (também esse número) pessoas;

Uganda em 71? quando Amin matou mais de 300,000 (também esse número) pessoas;

Ruanda em 94? quando mais de 800.000 pessoas de minorias étnicas foram assassinadas;

Ruanda em 94? quando mais de 800.000 pessoas de minorias étnicas foram assassinadas;

Myanmar em 2008? quando os monges eram assassinados por pedir a democracia.

Myanmar em 2008? quando os monges eram assassinados por pedir a democracia.

Fato: os EUA não estão nem ai para a democracia e para os direitos humanos.

As invasões de Iraque, Afeganistão e praticamente todas as guerras modernas são motivadas pela economia e pelo poder, é por isso que o Irã é um país importante para os EUA, pois está no meio do Oriente Médio e está assumindo uma posição de liderança que pode ameaçar a influência americana na região, além de ter petróleo…

Quanta merda se esconde por baixo dos panos em!

Leonardo Meimes

O país mais perigoso do mundo

Posted in História, Política, Uncategorized by leonardomeimes on 19/05/2010
Lula e Ahmadinejad

Lula e Ahmadinejad

Já estão falando por ai que o Irã está enganando o Brasil e a Turquia para ganhar tempo. O que agente não está falando é que há mais de 60 anos alguns países estão também nos enganando, produzindo armas químicas e de destruição em massa e impedindo outros países menores de produzirem.

Os EUA ainda possuem muitas bombas atômicas em seu arsenal de combate diário e, pasmem, as bombas de Hiroshima e Nagasaki tinham 49 Kt, as de hoje tem 1.2 Mt (1200 kilotons), sem contar as bombas B-53 (Mk-53) Bomb de nada menos que 9 Mt (9000 kilotons) um dano que poderia sumir com um continente.

B61-11

B61-11, leve rápido e muito forte

Os EUA vem secretamente produzindo bombas atômicas há muitos anos, sendo que um caso se tornou notório quando da descoberta da produção da bomba B61-11 de 400kt nos anos 1990, pelo governo Clinton, que foi enganado pelo exército. O exército disse que iria melhorar a segurança dos locais de estocagem das bombas e construiu outra bomba atômica moderna e muito mais forte que as de 1945.  Qual o perigo? O perigo é que os EUA já pensaram em utilizá-las durante o governo Bush para atacar a Líbia:

We could not take [Tarhunah] out of commission using strictly conventional weapons… the B61-11 would be the nuclear weapon of choice. Harold Smith ao Jane’s Defence Weekly

Nós não poderíamos retirá-lo [Tarhunah] de atuação utilizando apenas armas convencionais… o B61-11 seria a arma nuclear de escolha.

A intenção era atacar o arsenal de armas químicas da Líbia… Quanta hipocrisia.

Têm sido assim com os Estados Unidos, Rússia (Estado sucessor da União Soviética), o Reino Unido, França e China. Israel finge que não tem (aliás Israel poderia ser considerado o país mais NAZISTA do momento, com sua política de invasão e desrespeito à palestina). Os EUA declararam em 03/05/2010 segundo a Reuters “5.113 ogivas, contando as ativas, mantidas na reserva ou armazenadas de forma inativa”, e “1.968 ogivas ativas”. Logicamente eles estão “seguindo” o tratado de não proliferação mandando as 4 mil bombas que não funcionam mais para a lixeira e ficando apenas com as bombas que funcionam.

Napalm

Napalm

Além dessas bombas genocidas, as armas químicas também são uma ameaça e muito maior, considerando que dificilmente um país se livrará delas devido a lentidão de tratados de não proliferação. Os EUA tem estoques de Gás Mostarda e VX que são altamente letais e que não terão pudor de utilizar.

Já utilizaram no Vietnã o agente laranja, que causou câncer e deformações em todas as gerações de Vietnamitas até agora.

Consideremos o seguinte.

  1. Nagasaki

    Nagasaki

    Histórico de agressões: nos últimos anos EUA tem causado a maioria das grandes guerras que tivemos, incluindo Vietnã (armas químicas e armas de destruição em massa), Iraque, Afeganistão, Golfo e Guerra Fria (criação de arsenais nucleares).

  2. Histórico de uso: EUA são o único país que já utilizou bombas atômicas em civis (Hiroshima e Nagasaki), já utilizou armas químicas no Vietnã (agente laranga), já utilizou armas de destruição em massa no Vietnã (Napalm)…
  3. Tamanho do arsenal: Os EUA têm o maior arsenal em quantidade de todas as armas acima citadas. O suficiente para destruir a Terra umas 5 vezes.

Agora considere o seguinte: a grande maioria dos Americanos é de extrema direita, gosta de  uma guerra e o país sempre ganha muito (dinheiro) com as guerras que produz. Considere que Líbia, Irã e outros países do Oriente Médio têm estoques de petróleo muito grandes que os Americanos não podem deixar de explorar. Some tudo e o que temos?

O país mais perigoso do mundo

Imagine só se um Hitler entrar no poder nos EUA, ou em Israel… esses países têm históricos de extremismo e conflitos suficientes para tentar EXTERMINAR o mundo assim que algum Hitler assumir.