Moscas Mortas Revolution – Página Inicial

Bolsonaro o maior babaca do universo

Posted in Uncategorized by leonardomeimes on 19/05/2011
Tagged with: ,

SaferNet: Bolsonaro agravou violência de ataques no Twitter

Posted in cidadania by leonardomeimes on 18/05/2011

Bolsonaro agrava a violência contra gays, negros e nordestinos na internet…

Ana Cláudia Barros


Evolução das denúncias de manifestações de ódio no Twitter em 2010(Fonte:SaferNet)

A máxima “a internet é um espelho fiel da sociedade” parece ainda mais cabível quando observadas as ondas de discriminação e ódio que têm emergido nos últimos meses no Twitter. Análise da evolução diária das denúncias no microblog, elaborada pela SaferNet e obtida com exclusividade por Terra Magazine, confirma o que já se suspeitava: eventos do “mundo real” impactam diretamente o ambiente virtual.

Nas cinco principais ondas de ataques e nas manifestações de menor proporção deflagradas no Twitter, no período que vai de novembro de 2010 a 16 maio deste ano, essa correlação fica evidente, conforme enfatiza o presidente da SaferNet Brasil – organização não-governamental que combate crimes contra direitos humanos na rede -, Thiago Tavares.

Ele chama a atenção para o “aumento significativo” da frequência e da violência dos ataques após a entrada em cena do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ).

– Com suas declarações polêmicas, o Bolsonaro acendeu o pavio e encorajou algumas ondas sucessivas de homofobia no Twitter e nas outras redes sociais no Brasil; Orkut principalmente – afirma, destacando a conexão entre realidade “online” e “offline”.

– Se forem cruzados os dados da planilha com as notícias veiculadas na imprensa, é possível perceber ligação com fatos, como disputas no Congresso, violência a homossexuais na Avenida Paulista, chuvas no Nordeste, metrô em Higienópolis.

Sobre as ondas menores, acrescenta:

– Elas têm se apresentado constantes ao longo de 2011. Em sua maioria, foram detonadas pela polarização do debate em torno dos direitos dos homossexuais.

De acordo com Tavares, a incidência das manifestações de discriminação começou a se acirrar a partir do final do segundo semestre de 2010. Sobre os motivos deste crescimento, argumenta:

– Dois fatores são importantes e, em conjunto, ajudam a entender esses números. O Twitter se expandiu muito no Brasil do segundo semestre pra cá. Hoje, tem em torno de 15 milhões de usuários (no mundo, são cerca de 180 milhões). O aumento expressivo na base de usuários também influenciou no número de casos – diz, prosseguindo com a explicação:

– Outro fator importante foi a violência no debate eleitoral. Essa agressividade que permeou a campanha dos candidatos foi transposta para os eleitores. O clima de animosidade criou um ambiente propício para essas manifestações exacerbadas de ódio.


Evolução das denúncias de manifestações de ódio no Twitter em 2011 (Fonte:SaferNet)

De janeiro a dezembro de 2010, 2.372 tweets(mensagens postadas no microblog) com teor discriminatório foram encaminhados à Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos, criada pela SaferNet e operada em parceria com os ministérios públicos federal e estaduais e a Polícia Federal.

Ao todo, foram contabilizados 23.589 denunciantes. Só de janeiro a 16 de maio de 2011, 1.181 tweets com as mesmas características foram reportados à SaferNet, quase a metade do acumulado no ano passado inteiro. Até a mencionada data, 8.942 pessoas se dispuseram a delatar os casos de discriminação. Todas as denúncias são anônimas.

“Detonadores”

O presidente da SaferNet explica que as ondas de preconceito no Twitter Brasil são desencadeadas pelo que chama de “perfis detonadores”, usuários que “assumem a dianteira e inauguram uma sequência de ódio, uma gritaria generalizada”.

A primeira grande onda aconteceu entre 1º e 4 de novembro do ano passado, logo após o anúncio do resultado das eleições presidenciais. Conforme a SaferNet, o perfil da estudante de Direito Mayara Petruso, apontada na época como pivô da polêmica em razão do comentário de que queria afogar os nordestinos, foi, de fato, o estopim das manifestações de preconceito. Neste período de quatro dias, 4.002 pessoas acionaram a ONG para denunciar.

Tavares comenta que foi necessário um “tratamento de choque” para estancar o tumulto na rede.

– Preparamos um relatório com 1.037 contas do Twitter, mandamos a lista para o Ministério Público e comunicamos à imprensa. Foi imediato. Cessou rapidamente.

– Se você comparar essa onda com as demais, vai perceber que as outras ondas duram, no máximo, 48, 72 horas estourando. A onda contra os nordestinos após as eleições, por sua vez, iria perdurar por mais de uma semana. Ela já durava cinco dias. Era uma atividade enorme. As mensagens estavam cada vez mais agressivas. Isso nos surpreendeu. Era uma onda absolutamente sem controle. Por isso decidimos adotar uma ação enérgica.

O segundo “tsunami” virtual foi registrado entre 17 e 19 do mesmo mês, após o lançamento, às vésperas do Dia Nacional da Consciência Negra, da campanha no Twitter “#HomofobiaNão”. Em contraposição ao movimento, grupos conservadores criaram o perfil e a hashtag “#HomofobiaSim”, o que impulsionou uma sequência de manifestações de repúdio aos homossexuais. Ao todo, 8.574 denunciaram.

Já a terceira onda, observada entre 29 e 30 também de novembro, teve como mote o neonazismo. Os alvos? Negros e gays. Os dois perfis apontados como os responsáveis pela propagação do ódio (@anjooslava e @anjonazistaheil) já não estão mais ativos, mas os comentários racistas e homofóbicos podem ser vistos via buscador Topsy, que mostra quem foram os autores da divulgação de determinado tweet e exibe as mensagens mais repassadas pelos usuários.

Entre os recados deixados pelos perfis, ataques frontais como: “Eu odeio homossexuais, desejo que todos eles tenham uma morte sofrida e dolorosa, meu sonho é um dia ver a humanidade livre dessa raça!”; “Meu avô foi brutalmente assassinado por um negro. Como eu vou defender esses lixos?”; “Rejeite o lixo multicultural! Despreze a escória homossexual!!! Não irei me acovardar, e sim massacrar”; “Esse país é um lixo, eles querem te obrigar a amar negros, homossexuais. Se for pra viver nesse lixo a minha vida toda, prefiro a morte”.

A quarta grande onda, ocorrida em 28 e 29 de dezembro, também foi alavancada pela aversão aos gays, lésbicas, transexuais e bissexuais. Segundo a SaferNet, os perfis detonadores foram @contraGays e @estuproSim, este último cancelado.

A série de ataques mais recente aconteceu em 12 deste mês, após a eliminação do Flamengo na Copa do Brasil pelo Ceará. Em um único dia, 5.150 internautas, indignados com o teor das mensagens de preconceito contra nordestinos, recorreram à SaferNet.

Tagged with: , ,

Bolsonaro é um ba.ba.ca

Posted in cidadania, Política by leonardomeimes on 09/05/2011

essa é minha opinião olha só a forma como ele fala do Veado, não perde nenhuma oportunidade de ser homofóbico e preconceituoso…

Me dá medo pensar que tem gente atrasada, burra, ignorante em todos os aspectos, infantil e intolerante o suficiente para votar e apoiar esse calhorda.

Tagged with: ,

Bolsonaro compara pedofilia a homossexualismo

Posted in cidadania by leonardomeimes on 06/05/2011

Deputado compara homossexualismo a pedofilia…

gente boníssima esse Bolsonaro, tenho medo que ele queira prender os homossexuais desse jeito… esse figura não pode ser levado a sério…

Bolsonaro: após união gay, próximo passo é legalizar pedofilia

05 de maio de 2011  20h42  atualizado em 06 de maio de 2011 às 01h0

Veja como votou cada ministro sobre união estável gay

. Foto: Carlos Humberto - STF/DivulgaçãoSupremo retomou julgamento sobre união estável homoafetiva nesta quarta-feira
Foto: Carlos Humberto – STF/Divulgação

CLAUDIA ANDRADE
Direto de Brasília

O deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) ironizou nesta quinta-feira a decisão do Supremo Tribunal Federal favorável à união estável homossexual. “Agora virou bagunça. O próximo passo vai ser a adoção de crianças (por casais homossexuais) e a legalização da pedofilia”, disse.

No final de março, Bolsonaro se envolveu em uma polêmica após proferir frases supostamente racistas e homofóbicas durante o programa CQC, da TV Bandeirantes. Em outra ocasião, o político disse estar “se lixando” para o movimento gay.

Hoje, o parlamentar reforçou sua posição contrária a casais homossexuais terem filhos dizendo que a criança “vai ver a mãe crescer usando cueca e o pai usando calcinha” e que depois disso vai ter “passeata gay mirim”. Bolsonaro afirmou ainda que o Supremo extrapola sua competência ao julgar um tema já previsto na Constituição, que reconhece a união estável entre homem e mulher como entidade familiar para efeito da proteção do Estado.

O argumento também foi usado por um dos filhos do deputado, Flávio Bolsonaro, deputado estadual pelo mesmo partido, em seu microblog. Segundo ele, “cabe ao Congresso Nacional e não ao STF criar direitos”.

Outro filho do parlamentar Carlos Bolsonaro, vereador no Rio de Janeiro, publicou várias mensagens sobre o julgamento em sua conta na rede de microblogs Twitter. “Não concordar com o estímulo ao homossexualismo é ser ignorante?”, questionou. “Então p/ ser inteligente é preciso ser gay? Isso é heterofobia!”(sic).

STF decide a favor de união gay
Por unanimidade, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu no dia 5 de maio de 2011 pelo reconhecimento de união estável entre pessoas do mesmo sexo. Todos os dez ministros aptos a votar foram favoráveis a estender a parceiros homossexuais direitos hoje previstos a casais heterossexuais – o ministro Dias Toffoli se declarou impedido de participar porque atuou como advogado-geral da União no caso e deu, no passado, parecer sobre o processo.

Com o julgamento, os magistrados abriram espaço para o direito a gays em união estável de terem acesso a herança e pensões alimentícia ou por morte, além do aval de tornarem-se dependentes em planos de saúde e de previdência. Após a decisão, os cartórios não deverão se recusar, por exemplo, a registrar um contrato de união estável homoafetiva, sob pena de serem acionados judicialmente. Itens como casamentos civis entre gays ou o direito de registro de ambos os parceiros no documento de adoção de uma criança, porém, não foram atestados pelo plenário.

Racistas? Imagina…

Posted in cidadania by leonardomeimes on 26/04/2011

Redação Carta Capital, 26 de abril de 2011 às 9:10h

em: http://www.cartacapital.com.br/sociedade/racistas-imagina

Apesar da redução de certas disparidades propiciadas por programas de segurança alimentar, o abismo que separa brancos e negros no Brasil continua gigantesco. Essa é uma das conclusões do Segundo Relatório Anual de Desigualdades Raciais, divulgado na terça-feira 19 pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O estudo revela que os afrodescendentes têm menor acesso ao sistema de saúde (uma taxa de não cobertura de 27%, diante dos 14% verificados entre a população branca), a exames ginecológicos preventivos, ao pré-natal e sofrem com uma taxa maior de mortalidade materna. Por dia, morrem cerca de 2,6 mulheres pretas ou pardas por complicações na gestação, enquanto esse mesmo problema acomete 1,5 mulheres brancas.

Nos últimos 20 anos, o tempo de estudo dos afrodescendentes acima de 15 anos passou de 3,6 anos para 6,5. Mesmo assim, está muito aquém da média dos brancos, com 8,3 anos de estudo. Por outro lado, os pretos ou pardos beneficiados pelo Bolsa Família conseguiram aumentar a quantidade de alimentos consumidos em proporção superior (75,7%) à da população branca inscrita no programa (70,1%).

“Melhorou a segurança alimentar dos afrodescendentes, mas a discrepância prevalece nos outros setores”, comenta Marcelo Paixão, coordenador do relatório.

Tagged with: , ,

Grupo organiza na Web ato de apoio a Bolsonaro na Paulista

Posted in cidadania, Política, Uncategorized by leonardomeimes on 07/04/2011

Ai está o perigo que sempre nos ronda, o de surgirem movimentos neonazistas, racistas, homofóbicos e/ou intolerantes, como a TFP.

O Dep. Jair Bolsonaro deveria se envergonhar de ser apoiado por pessoas que chamam os esquerdistas de libertinos e comunistas! Ou seja estamos voltando à época da caça aos comunistas? libertinos? Liberdade é diferente de libertinagem, mas em favor da ditadura essas pessoas confundem qualquer coisa…

“oposição ao petismo e toda essa libertinagem que os “direitos humanos” vem impondo para nós e nossas famílias”, isso não soa como um grito de guerra nazista? “Vamos atrás dos petistas! dos de esquerda! vamos caçar os direitos humanos que nos colocam como iguais a gays e negros!” Pois, saibam, inertes mentes de uma sociedade falida e tradicionalmente burra, que somos todos iguais sim! Não há libertinagem, há liberdade! E se há libertinagem entre os de esquerda quem dirá entre os de direita! Todo marido tradicionalista cultiva sua amante fora do lar, aliás eles são tão à favor da família que tem duas, três, quatro mulheres diferentes com muitos filhos, grandes babacas! vocês não são melhores que ninguém ao contrário são hipócritas e sugam o poder público assim como sempre fizeram…

O aborto é uma questão de saúde pública e para o bem de todos as pessoas devem ter a oportunidade de fazer o aborto em segurança, não é só porque vocês são manipulados por uma igreja mesquinha e ultrapassada que todos tem que seguir, também, as mesmas baboseiras. A igreja proíbe o aborto! excomunga quem o perpetua, em compensação os milhares de estupradores que engravidam mulheres (que fazem aborto por não ser um filho desejado) não são esconmungados! aliás teve um caso, inclusive, que o estuprador foi perdoado pela ingreja e a mulher que fez o aborto foi excomungada! QUE MORAL vocês tem? Milhares de mulheres sofrem com problemas por não poderem fazer seu aborto em uma clínica, quase morrem! Elas não tem a mesma religião de vocês cabe a ela decidir e o estado tem que garantir que será feito com segurança!

A igreja proíbe a camisinha! que absurdo! na África o papa nazista consegue ter coragem de falar mal da camisinha enquanto milhares de africanos sofrem com a AIDS! A igreja deveria ser o principal alvo das sanções por afronta aos direitos humanos!

Pessoas que dizem que os pais podem bater nos filhos, quando se sabe que isso afeta a educação da criança que cresce violenta, como aos pais…

Vocês são claramente contra os direitos humanos, racistas e homofóbicos, o perigo é que existem muitas pessoas assim no país e se não estivermos atentos é possível que tentem trazer de volta ao país uma ditadura!

Que vocês caiam na besteira de tornar público o seu racismo e sejam presos! Pois não queremos gente assim solta nas ruas…

Leonardo Meimes

_______________

Quinta, 7 de abril de 2011, 09h43

Ana Cláudia Barros

 

Na contramaré dos manifestos que se espalham pela web em repúdio às declarações dadas pelo deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) no programa “CQC”, da Band, um grupo de internautas articula, via Orkut, ato de apoio ao parlamentar. Eles pretendem se reunir no vão do Masp, na Avenida Paulista, no próximo sábado, conforme mensagens divulgadas na comunidade da rede social, intitulada “Sou fã do Dep. Jair Bolsonaro”, que conta com mais de 4 mil membros.

– Já está na hora de a gente fazer uma união de verdade… Uma união de brasileiros dignos, de batalhadores e cidadãos honestos! Já está mais do que na hora de a gente fazer uma oposição de verdade ao petismo e toda essa libertinagem que os “direitos humanos” vem impondo para nós e nossas famílias, como Kit gay, Aborto e tentativas de tirar os direitos dos Pais em educar os seus filhos e etc!!! – conclama um dos integrantes:

A mensagem prossegue:
– Vamos dar o nosso apoio ao único Deputado que bate de frente com esses libertinos e comunistas!!! Será um manifesto cívico, portanto, levem a família, esposas, filhos e amigos… Levem cartazes, apitos e fiquem tranqüilos que teremos um pessoal para nos dar proteção no caso de qualquer elemento surpresa.

A comunidade é relacionada com outra, também criada em defesa ao deputado, chamada “Jair Bolsonaro para presidente” – com 2643 membros -, dedicada “a todos aqueles que gostariam de ver o Dep. Jair Bolsonaro na Presidência da República”.

– Bolsonaro é nossa esperança de viver em um país sério e respeitador dos bons e velhos preceitos morais e éticos. Persista na luta Bolsonaro, acompanhos suas batalhas no Congresso e muito nos orgulhamos do trabalho que tem feito – diz a apresentação.

A exemplo da outra comunidade, esta também convoca os integrantes para o ato de apoio ao deputado na Avenida Paulista e incentiva a divulgação do manifesto pelos internautas.

A comunidade divulga ainda uma petição, escrita em português e em inglês, pedindo apoio para evitar uma possível cassação de Jair Bolsonaro. Ela tinha quase 1500 adesões.

Em outro abaixo-assinado, endereçado ao Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, os internautas argumentavam que o deputado seria vítima de “perseguição política como uma forma de autopromoção de parlamentares oportunistas”.

– Por conta dos seguidos incidentes, nos quais interpretamos a cassação do mandato do parlamentar algo inconstitucional e contrário ao desejo das mais de cem mil pessoas que confiaram seu voto ao candidato nas últimas eleições – diz a petição, com 230 assinaturas.

“Fora Jair Bolsonaro”

O apoio virtual a Jair Bolsonaro pode ser considerado tímido se comparado aos atos contrários a ele. Pelas redes sociais e na blogosfera, crescem o número de manifestações com críticas ao militar. No Facebook, o “Fora, Jair Bolsonaro” tem mais de 7 mil adeptos e “Cassação de Jair Bolsonaro”, mais de 8 mil.

No Twitter, o nome do deputado há dias aparece entre os tópicos mais debatidos. Assim como os que apoiam o parlamentar, os contrários também divulgam petições na internet. Uma das que contam com mais apoio é a “Proteja o País do Bolsonaro”, cuja a meta era abarcar 75 mil apoiadores e que, até esta quarta-feira (6), já tinha mais de 77 mil.

– As idéias racistas e homofóbicas do Deputado Jair Bolsonaro não são uma questão de opinião pessoal, elas são perigosas… Enquanto já existem leis para proteger outras formas de discriminação, pessoas GLBT não têm nenhuma proteção legal.
Vamos erguer nossas vozes mais alto que o Bolsonaro e mostrar que os brasileiros apoiam a lei anti-homofobia que irá ampliar as proteções contra a violência e discriminação para todos os brasileiros! Assine a petição agora, ela será entregue em Brasília em uma grande manifestação pela lei anti-homofobia! – conclama o abaixo-assinado.

 

Jair Bolsonaro

Posted in Uncategorized by leonardomeimes on 04/04/2011

Duas proposições de Jair bolsonaro mostrando como ele pretende dificultar a adoção de leis que criminalizem a homofobia e que ajudem a trazer esclarecimento sobre esse fato para crianças…

 

REQ-6/2011 CDHM

CDHM Arquivada
Autor: Jair Bolsonaro – PP/RJ. 

Data de apresentação: 3/3/2011
Ementa: Requer a convocação do Sr. Ministro de Estado da Educação para prestar esclarecimentos à Comissão de Direitos Humanos e Minorias sobre a elaboração de material de combate à homofobia a ser distribuído nas escolas de ensino fundamental.

REQ-2/2011 CREDN CREDN Pronta para Pauta
Autor: Jair Bolsonaro – PP/RJ. 

Data de apresentação: 3/3/2011
Ementa: Solicita a convocação do Excelentíssimo Senhor FERNANDO HADDAD, Ministro de Estado da Educação, para prestar esclarecimentos a esta Comissão sobre a elaboração de material de combate à homofobia a ser distribuído nas escolas de ensino fundamental.

 

Homofobia e racismo do deputado Bolsonaro geram onda de indignação

Posted in Política by leonardomeimes on 01/04/2011
http://www.cartacapital.com.br/destaques_carta_capital/homofobia-e-racismo-do-deputado-bolsonaro-geram-onda-de-indignacao

Paula Thomaz, 31 de março de 2011 às 17:57h

Para o advogado Eduardo Piza Gomes de Mello, do Instituto Edson Néris, Bolsonaro pode “negociar com parlamentares e partidos para que a corregedoria não abra um processo contra ele”. Foto: Renato Araújo/ABr

Para o advogado Eduardo Piza Gomes de Mello, do Instituto Edson Néris, Bolsonaro pode “negociar com parlamentares e partidos para que a corregedoria não abra um processo contra ele”

As reações de diversos segmentos da sociedade às declarações do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) na TV Bandeirantes, na última segunda-feira 28, foram de “absoluta indignação”. Para Valéria Melki Busin, integrante da ONG Católicas pelo Direito de Decidir, responsável pela articulação com o movimento LGBTT, “esse tipo de manifestação fere os direitos humanos não só da comunidade LGBTT e familiares, como desrespeitou negros, mulheres e homens”, afirma.

Entre outras declarações polêmicas, Bolsonaro disse que “o filho começa a ficar assim, meio gayzinho leva um coro, ele muda o comportamento dele. Olha, eu vejo muita gente por aí dizendo: ainda bem que eu levei umas palmadas, meu pai me ensinou a ser homem” (sic). E também: “ô Preta [Gil], eu não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja, eu não corro esse risco porque meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambientes como lamentavelmente é o seu.”

Para Valéria, resta a esperança de que ele seja sancionado pelas declarações racistas, já que atitude homofóbica ainda não é considerada como crime. “Ele sempre fala abertamente assim, se fosse crime a justiça funcionaria e ele seria preso. Depois das repercussões, ele deu uma consertada, mas se escora na impunidade. Só mostra que certos segmentos da sociedade têm cidadania de segunda classe. É como se estivesse dizendo ‘pode ir na avenida Paulista e bater em gay’”, indigna-se.

Na tarde de ontem, a Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OAB-RJ) entrou com um pedido de abertura de processo na Câmara dos Deputados, por quebra de decoro parlamentar, contra o deputado do PP. Mas para o advogado Eduardo Piza Gomes de Mello, do Instituto Edson Néris, ele pode sair impune por ter imunidade parlamentar, que lhe dá o direito de se expressar, já que representa seus eleitores mas, apesar disso o advogado entende que ele pode ser cassado, sim. “Ele se excedeu, cometeu um ato racista e isso é inadmissível. Ele ainda pode negociar com parlamentares e partidos para que a corregedoria não abra um processo contra ele”, fala.

Nesta quarta-feira o deputado disse que não teme ser cassado por causa de comentários racistas feitos em programa de televisão. “O soldado que vai à guerra e tem medo de morrer é um covarde. Eu estou aqui para expor as minhas ideias”, disse. E justificou que entendeu errado ou houve problemas de edição da produção do programa e que não tem medo de ser destituído da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. “Quem manda na minha cadeira é o líder do meu partido. Ele é quem decide, eu não saio de lá. Estou lá para não ter uma comissão só voltada para a demagogia e para defender interesses de quem está à margem da lei, como presidiários. Eu nunca vi defenderem direitos de famílias de vítimas de assassinos”.

Na Fundação Palmares o presidente Eloi Ferreira de Araujo, reagiu com indignação às declarações do deputado. A entidade estuda, com o seu departamento jurídico, a adoção de medidas contra o ato de racismo.

Também nesta quinta-feira 31 a Comissão de Combate à Intolerância Religiosa promoveu um ato de repúdio às declarações do deputado, durante reunião no Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro. O interlocutor da comissão, Ivanir Santos, disse que é necessário abortar manifestações do tipo das proferidas pelo deputado imediatamente. “Ouvir, em pleno ano de 2011, falas como essas tornam necessário que se atente ainda mais para os perigos que a sociedade corre quando pensamentos fundamentalistas começam a nos rodear. A irresponsabilidade dessas declarações é muito grande”.

Ontem, uma representação assinada por 20 deputados foi protocolada na Mesa Diretora da Câmara pedindo que a Corregedoria da Casa investigue Bolsonaro pelos comentários racistas.

 

Passarinho não gosta de Bolsonaro

Posted in Música by leonardomeimes on 31/03/2011

O ex-ministro Jarbas Passarinho sobre o deputado racista, homofóbico, facista e de extrema direita Bolsonaro:

Já tive com ele (Bolsonaro) aborrecimentos sérios. Ele é um radical e eu não suporto radicais, inclusive os radicais da direita. Eu não suportava os radicais da esquerda e não suporto os da direita. Pior ainda os da direita, porque só me lembram o livrinho da Simone de Beauvoir sobre “O pensamento de direita, hoje”: “O pensamento da direita é um só: o medo”. O medo de perder privilégios (PASSARINHO, apud, LEAL, 2010).

A própria direita não o suporta, os militares também não, foi construída sobre Bolsonaro uma margem de que ele prega os valores do militarismo e que seria uma espécie de defensor dos militares, mas na verdade Bolsonaro, nas palavras de Passarinho, “irrita muito os militares”! Passarinho, que foi ministro dos governos militares e compôs o conselho que criou o AI-5, ou seja, que era partidário da ditadura, continua sua depreciação de Bolsonaro dizendo:

Foi mau militar, só se salvou de não perder o posto de capitão porque foi salvo por um general que era amigo dele no Superior Tribunal Militar (STM) (PASSARINHO, apud, LEAL, 2010).

Militar de merda, deputado pior ainda! é contra praticamente todas as políticas sociais de inclusão de negros e de criminalização da homofobia… Bolsonaro, coitado, vive em uma redoma de “mentirinhas” onde ele acredita que os militares não torturaram, e sim foram torturados”, que os políticos do PT e companhia mentem sobre suas prisões e torturas, confirmadas em processos, e, sendo de extrema direita, ainda busca defender a Família (burguesa, tradicional, cristã e racista), a Tradição (cristã, racista, homofóbia e atrasada) e a Propriedade (burguesa, desigual e que causa muita pobreza).

Sr. Deputado, não há lugar para você no mundo, um homofóbico, de extrema direita, militar!, que apoia a tortura!, apoia o racismo!

Sr. Deputado Bolsonaro até mesmo a direita tem vergonha de ter você como aliado!

Sr. Deputado Bolsonaro… não há lugar para você no pais que queremos!

Leonardo Meimes

Referências: http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI5038071-EI6578,00-Jarbas+Passarinho+Nunca+pude+suportar+Jair+Bolsonaro.html

Sai do armário Bolsonaro!

Posted in Uncategorized by leonardomeimes on 30/03/2011

Essa implicância dele com os gay deve ter algum fundamento…

 

SAI DO ARMÁRIO BOLSONARO!