Moscas Mortas Revolution – Página Inicial

A polícia de Curitiba também é criminosa

Posted in Política, Textos Próprios by leonardomeimes on 06/02/2012

A polícia do PSDB é igual em todo país…

Ontem, eu estive no pré-carnaval de Curitiba como muitas pessoas de bem que participam todo domingo daquela festa. Como todo evento que cresce, há a necessidade de policiamento: para isso existe na Polícia Militar as unidades de Eventos. Só que o pré-carnaval, como todo carnaval deveria ter um policiamento mais presente do que a nossa PM e Guarda Municipal deu.

Nesse fim de semana, e no anterior, a quantidade de gente atingiu proporções que não são comuns em Curitiba. Estima-se que ontem pelas 21 horas ainda havia mais de 1000 pessoas no Largo da Ordem se aglomerando em frente ao Brasileirinho onde tradicionalmente, todo domingo, uma roda de samba é formada. A pergunta é:

  • sendo um carnaval, porque não havia policiamento durante todo o evento para evitar que marginais aparecessem?

O único esforço das autoridades para facilitar o evento foi o bloqueio de algumas ruas, de resto parece que a polícia estava apenas esperando um motivo para acabar com aquele evento.

Pois que o motivo veio quando algum desses marginais que poderia estar preso, não deve estar, resolveu agredir uma viatura da polícia que passava. A reação?

Duas viaturas da RONE e diversas viaturas dos Guardinhas desceram o Largo da Ordem mandando para casa mais de 1000 pessoas, das quais 99% estava dançando, se divertindo, entre as quais havia um cadeirante, idosos, uma mulher grávida… 

No local antes da Rone aparecer, não havia uma briga se quer! Só havia felicidade. Nas fotos já se vê o Largo esvaziado…

Foto: Albari Rosa

Parece a receita para uma ação desastrada não é? Pois eles ainda apimentaram ainda mais o clima. Entre os equipamentos de trabalho que foram usados pela polícia para dispersar o povo, que não tinha nada a ver com a garrafa jogada, estava:

  • caceteies, que foram usados com toda a sua desenvoltura;
  • escudos;
  • escopetas de bala de borrada que atingiram pelo menos 10 pessoas, incluindo um músico do bloco e um rapaz que estava com a mão levantada e tentou conversar com a polícia (esse na cabeça);
  • bombas e gás que eram jogadas na multidão para dispersar, o que causou uma correria de muitas pessoas que poderia ter terminado em tragédia.

Isso é tudo? Não.

Foto: Julio Garrido.

Não conversaram com repórteres, não deixaram ninguém ficar no Largo da Ordem, local público! Queriam ainda voltar pelo largo quando um grupo de pessoas se pôs em frente deles e conseguiu impedir.

Júlio Garrido (disponibilizou as fotos) comenta em seu facebook que:

Passada a batalha perguntei a um soldado do batalhão de choque a causa disso, ele disse : “Alguém atirou uma garrafa na viatura lá no cavalo babão” e eu perguntei mas e por causa disso vocês atiram em todo mundo? “A gente não sabe quem é bandido ou não é”, foi o que ele respondeu.
Essa é a lógica da PM? Se não sabe quem é bandido logo todos são?
Sinceramente não preciso deste tipo de polícia, melhor viver entre bandidos.

Essa história já é velha conhecida não? Alguém  se lembra da manifestação pela legalização da maconha que foi duramente rechaçada em SP? Dos estudantes que apanharam da PM na USP? Dos viciados que são espalhados pelo entro de São Paulo em vez de receberem assistência social, ou de prenderem apenas os traficantes? Das 2000 pessoas qeu foram evacuadas de Pinheirinho?

É… provavelmente você ainda se lembra de mais situações me que a polícia agiu de forma completamente desproporcional, causando mais violência do que os “marginais”.

Será que nosso estado e nossa cidade que são conhecidas por outros motivos também serão conhecidas pela atuação de uma polícia desumana, agressiva e autoritária?

Foto: Jaime Costa (Gazeta do Povo).

Cabe a vocês eleitores saberem quem está por trás disso, pois se eu sou defendido por essa polícia que é mais violenta com a população do que os marginais, eu preferia ficar à mercê.

O que é que o Luciano Ducci vai dizer? e o Beto Richa? Ou vão dizer que a ação da PM foi exemplar?

Logo colocarei um vídeo da confusão, com vista de cima, pois eu estava, por sorte, no primeiro andar do prédio do Brasileirinho, alguém gravou tudo de camarote.

Leonardo Meimes

Beto Richa vai privatizar a Celepar

Posted in Uncategorized by leonardomeimes on 07/02/2011

O governador confirmo que tem a intenção de privatizar a Celepar… uma empresa que sempre foi do estado e que sempre trouxe benefícios para o estado, inclusive vendendo tecnologia, como o sistema de ouvidoria para outros estados…

BANDO DE TROUXA QUE VOTA NELE!

Leonardo Meimes

Fonte: http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2011/02/07/tucano-quer-privatizar-o-parana-bessinha-nele/

Beto Richa confirma privatização da CELEPAR; ouça o áudio


O endereço eletrônico é: http://esmaelmorais.com.br/?p=44237#comments


No mesmo blog há uma nota comentando que o Beto Richa afirmou que a COPEL (que tem ações negociadas na bolsa de NY) teria perdido competitividade.


Mentira! A COPEL é uma empresa eficiente, competitiva, que cobra uma das menores taxas de energia elétrica do país.


Será que Beto quer privatizar a COPEL (*) (que, dizem, vale R$ 12 bi) ???

(*) O Daniel Dantas comprou a Copel do Jaime Lerner como comprou a Cemig do Eduardo Azeredo. De mãe para filho. O Itamar se elegeu governador de Minas e tomou a Cemig de volta do Daniel Dantas. Botou ele e a Elena Landau para correr. O Requião passou o Governo todo a lutar na Justiça para tomar a Copel de volta. Pelo menos o Daniel Dantas não manda mais lá. Como acionista minoritário das duas, o Dantas, por contrato, tinha o direito, exclusivo, de fazer TODAS AS COMPRAS da Copel e da Cemig. Isso é que é jestão tucana !

Tagged with: , ,

Tucano consegue barrar mais uma pesquisa eleitoral no Paraná

Posted in Política by leonardomeimes on 29/09/2010

Redação Carta Capital, 28 de setembro de 2010 às 18:38h

Beto Richa, candidato do PSDB ao governo do estado, consegue a quarta impugnação de levantamento sobre intenção de voto

Enquanto lidera uma espécie de cruzada nacional pela liberdade de informação, o PSDB consegue proibir, pela quarta vez, a divulgação de uma pesquisa sobre intenções de voto para o governo do Paraná.

A Justiça do estado concedeu nesta terça-feira 28 mais uma decisão favorável a Beto Richa, candidato tucano no estado. Pela decisão, a pesquisa Datafolha encomendada pela Rede Paranaense de Comunicação não poderá ser divulgada.

A briga do tucano com as pesquisas começou quando um levantamento do Datafolha apontou queda nas preferências dos eleitores por Richa. O último Datafolha “liberado” no Paraná apontava uma redução de 13 pontos na vantagem de Richa sobre o segundo colocado, Osmar Dias (PDT).

Após tal divulgação, Richa conseguiu impugnar mais duas pesquisas Datafolha, uma do Ibope e outra Vox Populi. Não consta que a candidatura nacional tenha criticado a falta de liberdade de informação no Paraná.

PSDB barra pesquisas no Paraná

Posted in Política by leonardomeimes on 27/09/2010

Após queda de Beto Richa, coligação questiona sondagens de intenção de voto do Ibope, Datafolha e Vox Populi

24/09/2010 | 00:07 | GLADSON ANGELI E HELIBERTON CESCA COM COLABORAÇÃO DE DANIELA NEVES E FÁBIO SILVEIRA, DO JORNAL DE LONDRINA

Em uma semana, a Justiça Eleitoral suspendeu a divulgação de três pesquisas de intenção de votos ao governo do Paraná, todas a pedido da coligação “Novo Paraná” do candidato Beto Richa (PSDB). A mais recente, do Ibope, começou a ser realizada na segunda-feira e seria divulgada ontem. Na terça-feira, por força de uma liminar, foi proibida a publicação da pesquisa realizada pelo Vox Populi e na quarta-feira do levantamento do Datafolha.

Os advogados da coligação de Beto Richa entraram na Justiça contra o Ibope alegando problemas no plano amostral do instituto. O candidato ao governo pelo PRTB, Robinson de Paula, também questionou a pesquisa pelo fato de seu nome não contar na relação de candidatos para um eventual segundo turno. O juiz auxiliar Luciano Carrasco aceitou os argumento e proibiu a veiculação da pesquisa sob pena de aplicação de multa no valor de R$ 200 mil.

Justiça manda tucano retificar mensagens

O juiz eleitoral Juan Daniel Pereira Sobreiro concedeu ontem uma liminar suspendendo o envio de e-mail do candidato ao governo do Paraná pelo PSDB, Beto Richa, com números de intenção de voto de uma pesquisa não registrada no Tribunal Regional Eleitoral no Paraná (TRE-PR). Ele ainda determinou a retificação da informação. A decisão atende a uma ação da campanha de Osmar Dias (PDT).

Na decisão, Carrasco argumenta que a sondagem não atende aos requisitos exigidos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por “não definir claramente o plano amostral, deixando de revelar os porcentuais utilizados para as faixas etárias, sexo e grau de instrução”. Já a não inclusão do nome de Robinson de Paula para o segundo turno infringe, segundo o juiz, o artigo 3.º da Resolução 23.190 do TSE.

O trecho citado estabelece que a partir de 5 de julho de 2010, o nome de todos aqueles que tenham solicitado registro de candidatura deverá constar das pesquisas realizadas mediante apresentação da relação de candidatos ao entrevistado. O pedido de impugnação da pesquisa pela coligação ocorre no momento em que os levantamentos mostram uma reação de Osmar Dias (PDT). Na última pesquisa Datafolha, divulgada no dia 16 de agosto, a diferença entre os candidatos, que chegou a ser de 13 pontos, havia caído para 5 pontos porcentuais.

A coordenação da campanha do pedetista criticou a postura do tucano por só pedir impugnação de levantamentos na reta final da disputa. “O que choca é que não há nenhuma diferença entre os registros das pesquisas anteriores e estas. A única coisa que muda é a data do levantamento”, disse Guilherme Gonçalves, coordenador jurídico da chapa de Osmar.

Em campanha na cidade de Londrina, Norte do estado, Beto Richa negou ter a “intenção deliberada” de impugnar as pesquisas. Ele justificou as medidas judiciais adotadas por sua coligação, alegando que os resultados dos levantamentos estariam sendo divulgados antecipadamente. “Partidários do senador estavam previamente anunciando o resultado de pesquisa que ainda estava em campo. Isso não cheirou bem para nós e a Justiça entendeu dessa forma, não fui eu [que impugnei as pesquisas]”, afirmou.

Para o cientista político David Fleisher, da Universidade de Brasília (UnB), a tentativa de impedir a publicação de pesquisas mostra desespero do candidato. “A pesquisa afeta o eleitorado. Neste ano tivemos casos de partidos processando institutos de pesquisa, o que mostra que o resultados dessas pesquisas realmente afeta a opinião pública”, afirma.

Fleisher disse que o resultado dos levantamentos geram a ideia de voto útil, que é aquele no qual o eleitor tende a decidir pela “mar” de crescimento de um dos candidatos.

Os institutos Vox Populi e Da tafolha recorreram, mas tiveram os pedidos de liberação das pesquisas negados. O recurso do instituto Ibope ainda não foi julgado.

Serviço:

Na pesquisa Datafolha divulgada em 16 de agosto foram ouvidas 1.246 pessoas em 47 municípios paranaenses. O levantamento foi realizado entre os dias 13 e 14 de setembro e a margem de erro é de 3 pontos porcentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) com o número 21.776/2010 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) 30.034/2010.