Moscas Mortas Revolution – Página Inicial

As senhoras de Santana da imprensa

Posted in cidadania, Educação, História, Política by leonardomeimes on 20/09/2010

Cynara Menezes

17 de setembro de 2010 às 23:00h

Em 1980, surgiu em São Paulo um grupo de mulheres preocupadas com a “imoralidade” que tomava conta da televisão. Sobretudo com os programas que surgiam naquela década falando abertamente de sexo, como o da hoje candidata a senadora Marta Suplicy no TV Mulher. Apelidadas de “senhoras de Santana”, por serem moradoras do bairro com este nome, elas marcaram época e viraram sinônimo do atraso e do conservadorismo nos costumes.

Trinta anos depois, surge uma nova geração de “senhoras de Santana”. Desta vez, não descobertas por jornalistas: são jornalistas. Instaladas em número cada vez mais volumoso nas redações, premiadas com cargos de chefia e ascensão meteórica, as senhoras de Santana do jornalismo são o exato oposto da figura mítica do repórter talentoso, espirituoso, culto e algo anarquista: têm um texto ruim de doer e nunca leram nada a não ser seu próprio veículo, mas cumprem rigorosamente as tarefas que lhes são dadas. Seu maior ídolo é o patrão.

Esqueça a imagem do jornalista concentrado, batucando com rapidez sua reportagem com um cigarro pendurado no bico. As novas senhoras de Santana do jornalismo não fumam. Aliás,  deduram quem estiver fumando em ambiente fechado, como reza a lei imposta por aquele político que seus patrões adoram e que eles, obedientemente, passaram a bajular. Fumar baseado, então, nem pensar. Os repórteres de Santana são contra a descriminação de todas as drogas, até da menos nociva delas. Se as senhoras de Santana do jornalismo soubessem que andam por aí fumando orégano, fariam matérias pela proibição do uso, mesmo na pizza.

As novas senhoras de Santana do jornalismo não questionam o poder ou os dogmas da Igreja católica. Pelo contrário, fazem questão de ir à missa todos os domingos. Pior: simpatizam com a Opus Dei, a ala mais conservadora do catolicismo. São contrários à liberação do aborto e defensores do papa sob quaisquer circunstâncias, inclusive quando o suposto representante de Deus na Terra é acusado de acobertar a pedofilia.

Ao contrário do que ocorreu no passado, quando os jornalistas tiveram papel importante na luta contra a ditadura, as novas senhoras de Santana do jornalismo se especializaram em denegrir a imagem daqueles que optaram pela ação armada para combater o poderio militar. Vilipendiam os guerrilheiros com fichas falsas e biografias inventadas. O repórter Vladimir Herzog morreu enforcado nos porões do regime. Não viveu para ver a triste transformação dos “coleguinhas” em senhoras de Santana. Quando Herzog morreu, a grande maioria dos jornalistas se dizia de esquerda. As novas senhoras de Santana do jornalismo adoram pontificar que não existe mais esquerda e direita, mas são de direita.

Nem pense nos papos animados após o fechamento dos velhos homens de imprensa, varando madrugadas pelos bares da vida. As novas senhoras de Santana não bebem, vão direto para casa depois de trabalharem mais de dez horas por dia – sem carteira assinada. E ainda patrulham a birita alheia, como se fossem fiscais de trânsito 24 horas a postos com seus bafômetros virtuais. “O presidente bebe cachaça”, torcem o nariz as jornalistas de Santana. “A candidata do presidente torceu o pé. Deve ser porque encheu a cara”, acusam.

Toda vez que as novas senhoras de Santana da imprensa encontrarem aquele ator famoso que andou se desintoxicando do vício de cocaína e por isso perdeu papéis em novelas, vão torturá-lo com as mesmas perguntas: “Você parou mesmo de cheirar?” “O tratamento funcionou ou não?” Sim, os jornalistas de Santana não saem para beber porque preferem ficar em casa vendo novela. Se duvidar, as novas senhoras de Santana do jornalismo nem fazem sexo. Talvez de vez em quando, vai. Mas só papai-e-mamãe. E heterossexual, claro.

No futuro, as escolas de jornalismo serão monastérios, de onde sairão mais e mais senhoras de Santana habilitadas não só a escrever reportagens como a rezar a missa.

Cynara Menezes

Cynara Menezes é jornalista. Atuou no extinto “Jornal da Bahia”, em Salvador, onde morava. Em 1989, de Brasília, atuava para diversos órgãos da imprensa. Morou dois anos na Espanha e outros dez em São Paulo, quando colaborou para a “Folha de S. Paulo”, “Estadão”, “Veja” e para a revista “VIP”. Está de volta a Brasília há dois anos e meio, de onde escreve para a CartaCapital.

Fonte: http://www.cartacapital.com.br/destaques_carta_capital/as-senhoras-de-santana-da-imprensa

Anúncios
Tagged with: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Índia condena sete por desastre tóxico de Bhopal que matou milhares em 1984

Posted in História by leonardomeimes on 07/06/2010

Fotne: http://www1.folha.uol.com.br/mundo/746502-india-condena-sete-por-desastre-toxico-de-bhopal-que-matou-milhares-em-1984.shtml

Índia condena sete por desastre tóxico de Bhopal que matou milhares em 1984

DAS AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Publicidade

//

Um tribunal local de Bhopal (centro da Índia) declarou nesta segunda-feira (7) culpados os sete acusados pelo vazamento tóxico de 1984 da companhia Union Carbide nessa cidade, para muitos a pior catástrofe industrial da história.

O juiz Mohan P. Tiwari condenou os acusados por terem “causado mortes com negligência” e por “homicídio culposo sem grau de assassinato”, a dois anos de prisão.

A corte também multou a ex-unidade indiana da companhia americana em 500 mil rúpias (cerca de US$ 10,6 mil).

Entre os condenados estão o principal responsável naquele momento da filial indiana da companhia, Keshub Mahindra, que já tem 85 anos. Todos os sentenciados são de nacionalidade indiana e eram altos executivos da empresa na época do acidente.

Ainda se desconhece se a sentença afeta o americano Warren Anderson, ex-presidente de Union Carbide, que está foragido da justiça indiana e que não compareceu aos interrogatórios do caso, iniciados há 23 anos.

Acidente tóxico

Vítimas de Bophal

Vítimas de Bophal

No dia 3 de dezembro de 1984, cerca de 40 toneladas de metisocianato provenientes da fábrica da empresa encheram o ar dos bairros próximos com efeitos devastadores.

Cerca de 3.000 pessoas morreram imediatamente, segundo a Corte Suprema da Índia, e desde então, de acordo com várias organizações médicas, até 25 mil pessoas morreram vítimas das sequelas do vazamento ou da posterior poluição na região.

As autoridades de Bhopal tinham proibido para hoje as reuniões de mais de quatro pessoas em um raio de um quilômetro ao redor do tribunal, prevendo incidentes, depois que várias vítimas pediram no domingo a pena de morte para os acusados.

As associações de vítimas qualificaram hoje a decisão do juiz como uma “injustiça total” e anunciaram que apelarão da sentença a cortes superiores, na busca de penas maiores.

“O máximo que podem conseguir são dois anos de prisão e cinco mil rúpias de multa (cerca de US$ 105) para a liberdade pagando uma fiança. Foi uma bofetada para todos e uma decisão vergonhosa”, disse por telefone a ativista Rashida Bee, da associação Chingari.

O tribunal examinou durante as mais de duas décadas de julgamento as declarações de 178 testemunhas da acusação e oito da defesa, e elaborou um total de 3.008 documentos.

Gente diga não ao antissemitismo e sim à justiça

Posted in História, Política by leonardomeimes on 04/06/2010

Os problemas que Israel está causando atualmente não podem, e não devem, pelo bem de nosso mundo, se transformar em uma onda de antissemitismo “maquiado”. A questão de criticar Israel e suas atitudes em relação aos palestinos e, mais precisamente, à Gaza é de fato uma questão se bom senso e amor ao próximo e não uma questão de criticar as atitudes religiosas de ambas as partes.

Sabemos que tanto os sionistas Judeus quanto os muçulmanos do Hamas tem seus problemas com a lei, sendo ambos estados considerados estados terroristas pelas ações e crimes de guerra que perpetuam, o problema é transformar isso em uma polarização de religiões e, no pior dos casos, uma onda de preconceito contra Judeus e Palestinos.

 

Oriente Médio

Oriente Médio

A região em que o conflito se deflagra é conhecida mundialmente como uma das mais tensas do mundo. Ali, a Líbia, o Líbano, a Jordânia, o Egito, Israel e os Palestinos têm enfrentado vários conflitos durante os anos.  A Guerra Israel x Egito pelo canal de Suez, a guerra dos seis dias entre Israel x Iraque, Jordânia, Síria e Egito, a guerra Irã X Iraque, a guerra de Yom Kipur entre Israel x Egito, Síria e Iraque, a guerra do Líbano x Israel, essas de 1956 a 2000, e, por fim, a segunda guerra do Líbano x Israel, seguida pela Operação Chumbo Fundido entre Hamas x Israel e EUA de 2000 à 2008. Foram deixadas de fora as guerras que não envolvem Israel, pois houve muitos outros conflitos.

A região, então, é bem problemática o que pede muita cautela ao considerar os conflitos que ali acontecem. Porém a história de conflitos de Israel pode ser contada com protagonismo evidente. O território é dado como pertencente a Israel desde os tempos bíblicos, onde o Reino de Israel teria a terra prometida por Deus, como seu lugar de paz e descanso. Os primeiros templos de Israel estão na localidade. Já na época do Império Romano os Israelenses foram obrigados a deixar a terra, e, aos poucos, durante vários séculos, foram retomando a terra que era majoritariamente muçulmana após a diáspora.  Em 1880 o fluxo de Judeus que se dirigiam à região era menor do que o fluxo que preferia outras terras ao reino sagrado, e a América era o destino mais procurado, porém isso não impediu que a população de judeus crescesse na região.

Antissemitismo, comparação entre o Judaísmo e o Nazismo

Antissemitismo, comparação entre o Judaísmo e o Nazismo

O sionista Theodor Herzl formou um movimento político que queria criar um estado Israelense aos moldes do estado alemão nacionalista, que viria mais a frente a se tornar o estado Nazista de Hitler causando uma movimentação de centenas de milhares de judeus em direção à Israel, fugindo da Europa. A população de Judeus se tornou 33% da população total da região. Os Britânicos que estavam sob controle na região começaram a sofrer ataques terroristas desses movimentos judeus que queriam a independência, sendo o primeiro em 1944 contra o Ministro de Estado Britânico. Em 1948 os políticos judeus declararam a independência e proclamaram a criação do País de Israel. No outro dia todos os países árabes entraram em guerra contra Israel, quase um milhão de árabes muçulmanos foram obrigados a sair de Israel, ou fugiram, com destino aos países vizinhos.

A partir dai, os conflitos se arrastam.

Theodor Herzl, visionário do Estado judeu, em 1901.

Theodor Herzl, visionário do Estado judeu, em 1901.

Os árabes dizem que Israel se apropriou de terras que haviam estado em posse dos árabes por mais de 600 anos, o que os colocaria como reais habitantes da região, de criar um estado Judeu apesar da maioria da população ser muçulmana e de expulsar os árabes das terras que “invadiu”.

Os Israelenses dizem que a terra era a terra prometida à peles por Deus e que habitaram a região muito antes dos muçulmanos se instalarem.

Ambos os lados da discussão foram maus em relação à diplomacia, Israel decidiu utilizar a força e começou a independência com atentados e assassinatos, e depois passou por cima de todos os moradores muçulmanos ao criar o estado de Israel. então em conflitos com Síria, Líbano, Egito, e Jordânia para anexar territórios ao seu país. Quis o canal de Suez, a Cisjordânia e agora que Gaza e principalmente a Jerusalém.

Os árabes responderam também com terrorismo, ataques mísseis e outras formas de agressão.

O fato é que ambos os lados deveria abdicar das armas e simplesmente conviver como faziam antes de 1800, porém a importância política da região, e estratégica não permite acordos. Os EUA querem a região por ser um ponto de ataque e uma base avançada para ataques ao Irã, Iraque e Afeganistão então eles patrocinam Israel e endossam suas atitudes ara tê-lo. Os árabes querem as mesmas coisas e são patrocinados pela Líbia e Irã.

 

Refugiados palestinos

Refugiados palestinos

A região é uma região problemática tanto politicamente quanto religiosamente, mas uma coisa ela poderia ensinar, que a fonte desses conflitos sendo a religião não justifica, pois Jerusalém deveria ser dividia entre todos os povos que a consideram uma cidade sagrada. A cidade é local sagrado para Judeus, Cristãos e Muçulmanos. Assim a origem desses povos é uma única origem e eles deveria se considerar irmãos e não inimigos.

Não transformemos esse problema político em uma guerra de religiões, pois será muito mais fácil julgar pessoas que não estão envolvidas no confronto e gerar uma onde de antissionismo, antissemitismo, antimuçulmanismo… Assim como há muçulmanos fundamentalistas, existem também sionistas fundamentalistas e cristãos ortodoxos…,porém também existem pessoas boas em todos os lados.

Perda de terrítório dos palestinos aos judeus

Perda de terrítório dos palestinos aos judeus

Os culpados do conflito são os políticos e as nações que patrocinam essa briga, e atos desumanos podem ocorrer de ambos os lados e devem ser repreendidos da mesma forma.

O ataque de Israel ao comboio de ajuda humanitária do grupo Free Gaza ainda assim é um ato desumano e foge ao bom senso que a região necessita, deve ser repudiado e Israel deve melhorar sua relação em relação à gaza, assim os atos terroristas do Hamas poderão ser considerados crimes e não apenas uma retaliação.

Leonardo Meimes

Democracia, imprensa e militares

Posted in cidadania, Educação, História, Política, Uncategorized by leonardomeimes on 27/05/2010

A imprensa pode causar mais danos que a bomba atômica. E deixar cicatrizes no cérebro.

Noam Chomsky citado no Estadão, 16/11/96

O problema com as democracias verdadeiras é que elas podem fazer seus governantes caírem na heresia de responderem às necessidades de sua própria população, em vez das dos investidores norte-americanos.


Noam Chomsky, no livro O que o Tio Sam Realmente Quer

Mantenha boas relações com os oficiais certos e eles derrubarão o governo para você.

Noam Chomsky, no livro O que o Tio Sam Realmente Quer

Penso, falando do ponto de vista legal, que há um motivo bem sólido para acusar todos os presidentes norte-americanos desde a Segunda Guerra Mundial. Eles todos têm sido verdadeiros criminosos de guerra ou estiveram envolvidos em crimes de guerra.

Noam Chomsky, no livro O que o Tio Sam Realmente Quer

O país mais perigoso do mundo

Posted in História, Política, Uncategorized by leonardomeimes on 19/05/2010
Lula e Ahmadinejad

Lula e Ahmadinejad

Já estão falando por ai que o Irã está enganando o Brasil e a Turquia para ganhar tempo. O que agente não está falando é que há mais de 60 anos alguns países estão também nos enganando, produzindo armas químicas e de destruição em massa e impedindo outros países menores de produzirem.

Os EUA ainda possuem muitas bombas atômicas em seu arsenal de combate diário e, pasmem, as bombas de Hiroshima e Nagasaki tinham 49 Kt, as de hoje tem 1.2 Mt (1200 kilotons), sem contar as bombas B-53 (Mk-53) Bomb de nada menos que 9 Mt (9000 kilotons) um dano que poderia sumir com um continente.

B61-11

B61-11, leve rápido e muito forte

Os EUA vem secretamente produzindo bombas atômicas há muitos anos, sendo que um caso se tornou notório quando da descoberta da produção da bomba B61-11 de 400kt nos anos 1990, pelo governo Clinton, que foi enganado pelo exército. O exército disse que iria melhorar a segurança dos locais de estocagem das bombas e construiu outra bomba atômica moderna e muito mais forte que as de 1945.  Qual o perigo? O perigo é que os EUA já pensaram em utilizá-las durante o governo Bush para atacar a Líbia:

We could not take [Tarhunah] out of commission using strictly conventional weapons… the B61-11 would be the nuclear weapon of choice. Harold Smith ao Jane’s Defence Weekly

Nós não poderíamos retirá-lo [Tarhunah] de atuação utilizando apenas armas convencionais… o B61-11 seria a arma nuclear de escolha.

A intenção era atacar o arsenal de armas químicas da Líbia… Quanta hipocrisia.

Têm sido assim com os Estados Unidos, Rússia (Estado sucessor da União Soviética), o Reino Unido, França e China. Israel finge que não tem (aliás Israel poderia ser considerado o país mais NAZISTA do momento, com sua política de invasão e desrespeito à palestina). Os EUA declararam em 03/05/2010 segundo a Reuters “5.113 ogivas, contando as ativas, mantidas na reserva ou armazenadas de forma inativa”, e “1.968 ogivas ativas”. Logicamente eles estão “seguindo” o tratado de não proliferação mandando as 4 mil bombas que não funcionam mais para a lixeira e ficando apenas com as bombas que funcionam.

Napalm

Napalm

Além dessas bombas genocidas, as armas químicas também são uma ameaça e muito maior, considerando que dificilmente um país se livrará delas devido a lentidão de tratados de não proliferação. Os EUA tem estoques de Gás Mostarda e VX que são altamente letais e que não terão pudor de utilizar.

Já utilizaram no Vietnã o agente laranja, que causou câncer e deformações em todas as gerações de Vietnamitas até agora.

Consideremos o seguinte.

  1. Nagasaki

    Nagasaki

    Histórico de agressões: nos últimos anos EUA tem causado a maioria das grandes guerras que tivemos, incluindo Vietnã (armas químicas e armas de destruição em massa), Iraque, Afeganistão, Golfo e Guerra Fria (criação de arsenais nucleares).

  2. Histórico de uso: EUA são o único país que já utilizou bombas atômicas em civis (Hiroshima e Nagasaki), já utilizou armas químicas no Vietnã (agente laranga), já utilizou armas de destruição em massa no Vietnã (Napalm)…
  3. Tamanho do arsenal: Os EUA têm o maior arsenal em quantidade de todas as armas acima citadas. O suficiente para destruir a Terra umas 5 vezes.

Agora considere o seguinte: a grande maioria dos Americanos é de extrema direita, gosta de  uma guerra e o país sempre ganha muito (dinheiro) com as guerras que produz. Considere que Líbia, Irã e outros países do Oriente Médio têm estoques de petróleo muito grandes que os Americanos não podem deixar de explorar. Some tudo e o que temos?

O país mais perigoso do mundo

Imagine só se um Hitler entrar no poder nos EUA, ou em Israel… esses países têm históricos de extremismo e conflitos suficientes para tentar EXTERMINAR o mundo assim que algum Hitler assumir.

Natureza Humana

Posted in História, Política by leonardomeimes on 04/02/2010

Nascemos para que fossemos humanos? ou desumanos?

Será que o Homem é um animal que é capaz se ser justo? imparcial?

Dentro de tanta “picaretisse pública” de tantos egos e interesses defendidos, Paulo Freire nos dá uma esperança:

“Na verdade, se admitíssemos que a desumanização é vocação histórica dos homens, nada mais teríamos que fazer, a não ser adotar uma atitude cínica ou de total desespero. A luta pela humanização, pelo trabalho livre, pela desalienação, pela afirmação dos homens como pessoas, como “seres para si”, não teria significação. Esta somente é possível porque a desumanização, mesmo que um fato concreto na história, não é, porém, destino dado, mas resultado de uma “ordem” injusta que gera a violência dos opressores e esta, o ser menos.

Porém Maquiavel nos retira a esperança:

“De fato […] os homens são mais propensos ao mal do que ao bem…” (Discursos I, 9)

“se não lutam por necessidade, lutam por ambição. É uma paixão que tem neles raízes profundas; não os abandona, por mais elevada a situação a que cheguem” (Discursos I, 37)

“[…] nada pode saciar os apetites humanos, pois a natureza nos deu a faculdade de tudo desejar, mas a sorte não nos deixa senão provar poucas coisas, disto resultando um descontentamento permanente, e um desgosto pelo que possuímos […]” (Discursos II, Introdução)

E você o que pensa sobre a natureza humana? Desumana porém não necessáriamente má? Ou necessáriamente má e desumana?

COMENTEM, DISCUTAM

Leonardo Meimes

O Elo Perdido

Posted in Educação, História by RogBriNas on 03/01/2010

Cresci ouvindo dizer que os cientistas estavam à procura do Elo perdido, lembro inclusive de vários seriados de televisão contendo esse tema, onde apareciam imensos dinossauros ao lado de piratas franceses, uns devorando os outros.

Depois rolou a reagravação de “O Planeta dos Macacos” onde Mark Wahlberg contracenava com os nada educados primatas que, na verdade, eram a evolução de chimpanzés que as naves espaciais dos humanos levavam para fazer experimentos no Cosmos. (Confuso? E não é isso que somos? A evolução dos nada educados.)

A temática era sempre a mesma, como se perder no tempo? Como humanos e primatas se relacionariam em uma época onde não eram os humanos que mandam na Terra? E principalmente, como o macaco chegou à forma humana?

Pois, parece que os cientistas estão mais perto de encontrar a resposta para a última pergunta.

Uma equipe de cientistas, liderada por Jorn Hurn, revelou, em maio de 2009, o esqueleto fossilizado de um primata de 47 milhões de anos, que poderá ser o nosso Elo Perdido.

Explicando pros leitores que não tiveram a oportunidade de entrar em contato com esse tema até então, existe toda uma evolução de nossa raça (humana) que vem dos primatas superiores (macacos) e se tornam grandes primatas e humanos, mas nunca se descobriu qual espécie está no meio dessas etapas.

O aparecimento desse primata, chamado Ida (nome científico: Darwinius masillae em honra aos 200 anos de Darwin), é fundamental para a ciência nessa área. “Este é o primeiro Elo para a ligação de todos os humanos, a prova mais próxima daquilo que podemos ter como nosso ancestral comum.” diz Hurum, cientista do Museu de História Natural de Oslo, Noruega.

Ida possui o esqueleto típico do lêmure, porém, com características dos primatas, como o polegar opositor que serve pra segurar coisas, o que a deixa no meio do caminho entre as espécies.

O mais inacreditável é que a equipe de pesquisadores não encontrou Ida em um sítio arqueológico, e sim em uma feira. A imprensa indica que um caçador de fósseis inexperiente a encontrou em Messel Pit, na Alemanha, em 1983, e só bem mais tarde decidiu vendê-la. A equipe de Jorn Hurn trabalhou no fóssil por dois anos até expôr ao público.

 

 

Lado Mau de Papai Noel

Posted in História, Literatura by RogBriNas on 24/12/2009

Muitas das lindas estórias que temos nos dias atuais são apenas boas fantasias das originais macabras, Papai Noel é uma dessas lendas. Ela começou com um bispo da cidade de Mira chamado Nicolau, nascido em Petara, Turquia, na segunda metade do século III. Foi preso por recusar-se a negar sua fé em Jesus Cristo, durante um debate com seus líderes, Nicolau esbofeteia um de seus superiores, com isso perde seu cargo na igreja, passa a ajudar as crianças necessitadas. É conhecido como acolhedor para com os pobres, o primeiro santo preocupado com a educação tanto das crianças quanto das mães.

Os mitos começam a aparecer, só que a época era agressiva, e a figura do Papai Noel, ou Pai Natal passa a recompensar com presentes as crianças boas enquanto seu companheiro, Krampus passa a punir as crianças más.

A palavra Krampus é derivada de “Krampen” e significa “garra” em alemão gótico. Apesar de ter sua cara feia, pra não dizer assustadora, ele estava às ordens de Noel. Ou as crianças eram boas e ganhavam presentes, ou eram más e ganhavam uma grande surra de Krampus. Há muitos séculos, o Natal não era como hoje. Era algo mais parecido com o Halloween, o que tem tudo a ver. Nessa época, os lavradors faziam uma pausa em suas colheitas (completamente debaixo da neve) e festejavam , normalmente em 5 de dezembro.

Voltando ao Nicolau, que vestia uma roupa de inverno de um verde tendendo pro marrom, com uma coroa de azevinhos na cabeça e andava de telhado em telhado deixando os presentes nas janelas.

Em 1822, Clemente Clark Moore escreveu um poema chamado Uma visita de São Nicolau dedicado aos seus seis filhos, nesse poema foi onde apareceu pela primeira vez o bom velhinho voando em um trenó puado por renas. Em 1836, o cartunista Thomas Nast publicou na revista Harper’s Weeklys um Papai Noel vestido de vermelho e branco, aproveitando essa onda, a Coca-Cola fez em 1931 uma grande campanha publicitária usando suas cores no Papai Noel, tal como Nast havia feito no século anterior. A quantidade de renas que puxam o trenó é controversa, tudo por causa da rena conhecida como Rudolph. Existe uma lenda que diz que Rudolph teria entrado para equipe de renas titulares por ter um nariz vermelho e brilhante, que ajuda a guiar as outras renas durante as tempestades. E, a partir daquele ano, a quantidade de renas passou a ser nove, diferente dos trenós tradicionais, puxados por oito renas. Tal lenda foi criada em 1939 e retratada no filme Rudolf, a Rena do Nariz Vermelho (1960 e 1998).

De acordo com o especialista em saúde pública Nathan Grills, da Monash University, da Austrália, Papai Noel estaria sendo um mau exemplo para as crianças, com sua figura avantajada e imensa barriga, com o costume de deixar biscoito e leite, o gesto estimula a gula, dentre outros gestos mau compreendidos.

O importante é que Nicolau é um grande vendedor e a indústria já sabe disso há muito tempo. Tudo o que aparece com o bom velhinho está fadado a ser amplamente vendido, mas, o que é pra você o Natal? Aonde Nicolau está hoje em dia? Apenas dentro das grandes lojas de departamentos, onde pessoas com muito dinheiro usam sua imagem pra ganhar muito mais dinheiro. Talvez Krampus deveria aparecer e dar uma grande surra nesses homens.

 

Psicologia

Posted in História by leonardomeimes on 10/11/2009
wundt

Wilhelm Wundt

 

A psicologia estuda o comportamento, os processos mentais, sentimentos, inconsciente, razão, pensamentos, tanto humanos quanto os animais e tenta explicá-los, prevê-los e até os modificar, principalmente quando se trata das patologias. Para isso ela usa varias formas de estudo,  sendo a observação a mais simples e a primeira a ser usada nos estudos clássicos da psicologia. Existem vários métodos para o estudo da mente assim como são variadas as áreas que a psicologia estuda, pois abrange quase todo os processos psíquicos ligados a comportamento e outros mais abstratos como sentimentos e etc.

 

1 – Wilhelm Wundt

hurtwilliam-james

Wiliam James

Criou o primeiro laboratório de psicologia na Alemanha, Universidade de Leipzig, inaugurando ai a psicologia moderna em 1879, graças ao mesmo a psicologia se tornou ciência independente e foram criadas a partir daí formas cientificas de investigação da psicologia por vários autores. A teoria de Wundt foi chamada de Estruturalismo por estudar a estrutura consciente da mente através da introspecção. Tichener nos EUA a modificou um pouco mas a teoria não sobreviveu ao tempo, principalmente por excluir a psicologia animal e infantil.

2 – Wiliam James

O próximo modelo de estudo foi chamado de Funcionalismo de Wiliam James e esta corrente procura a ligação entre os processos mentais e o organismo, incluindo a interação com o meio, surgindo uma idéia de que o meio interfere no desenvolvimento.

3 – Behaviorismo

john-b-watson-1-sized

John B Watsom

Nos Eua no séc XX o Behaviorismo se preocupou com o comportamento observável e usava o condicionamento do ambiente para conseguir um comportamento desejado, idéias criadas por John B Watsom. Ainda tem uma visão pratica da psicologia parecida com a do Funcionalismo, teve foco na aprendizagem, e não acredita ser possível estudar metodicamente a parte subjetiva da pessoa, mas seu comportamento sim.

4 – Skinner

O neocomportamentismo de Skinner que trouxe a cognição a mesa de estudo da psicologia, dizendo que o pensamento era parte do comportamento e que a observação e a investigação do que visualizado pode trazer o aprendizado.

5 – Gestalt

Max Wertheimmer e Kurt Koffka a fundaram, e ela via o homem por completo, como um todo, não como a psicologia de Wundt que dividia a mente em estruturas. Começaram a criar as terapias de campo, a Gestalt-terapia.

el-profesor-freud

Sigmund Freud

6 – Sigmund Freud

A Psicanálise criada a partir dos estudos da histeria feitos por Freud, onde foi descoberto que histeria era uma doença causada por desajustes mentais e não fisiológicos, fato que foi descoberto com seções de hipnose. O método foi depois abandonado e substituído pela “cura pela fala”, investigando o inconsciente por meio do dialogo. Carl G Jung presidente da sociedade psicanalítica rompe com Freud e cria a psicologia analítica, tentando tirar a sexualidade da analise que era um estudo constante de Freud. Outras teorias , mesmo na área da psicanálise surgiram após a morte de Freud e hoje existem a psicanálise ortodoxa, a analítica e a neopsicanálise.

7 – Carl Rogers

O Humanismo, aglomerado de teorias, tem o enfoque humano da mente, e vêem o homem como detentor da liberdade e da escolha. Carls Rogers psicanalista foi o principal exponente da corrente, que percebeu que a fala livre e a sentimentalidade eram fortes fontes de cura, sendo assim o paciente capaz de se curar sozinho. Surgiu ai uma terapia centrada no cliente (paciente não, pois ele agora é detentor da própria cura). Essas teorias foram usadas em diversas áreas  e apresentaram três conceitos que foram agregados a psicologia a congruência, a empatia, e a aceitação incondicional. Erik Erikson apareceu com a teoria das oito fases psicosociais, duvidando das quatro fases psicosexuais de Freud, para ele o homem sempre se desenvolve. Outros aspectos foram incorporados aos estudos da psicologia como a existência humana e o sentido da vida por Viktor Frankl.

maSLOW

8 – Pirâmide de Maslow

No topo desta pirâmide esta a auto-realizacao, portanto se o homem não detêm o pleno uso das bases, primeiro as necessidades fisiológicas, depois as de segurança, depois as sócias, depois as de auto estima, não chega a auto realização.

9 – Psicologia Transpessoal

Maslow procura introduzir a sua teoria à espiritualidade, criou então uma outra teoria para abranger este aspecto, a Psicologia Transpessoal. Os vários níveis de consciência, dos mais obscuros ao mais iluminado, mais consciente, transpessoal. Porem é uma teoria recente e precisa de mais estudo.

Áreas de Atuação

Existem varias área em que a psicologia pode ser usada, hoje em dia ela anda de mãos dadas a outros estudos como a sociologia, a pedagogia e a medicina. Surgindo assim varias formas de se usar as teorias psicológicas, no ensino, nos problemas sócias, na medicina como a neuro-ciência, a psicologia Hospitalar e muitas outras aplicações.

 

Leonardo Meimes

Registros Incríveis!

Posted in História by leonardomeimes on 07/10/2009

Em todo mundo algumas fotos ficam para a história, aqui procurei algumas delas e explicarei um pouco da história:

get (1)

Amundsen chegou ao Polo Sul dia 14 de dezembro de 1911, ganhando a corrida de 34 dias contra o aventureiro britânico Sir Robert Falcon, que perdeu a aposta por empregar cavalos mongóis em vez de cachorros para puxar seus trenós.

foto01

A famosa foto de Che Guevara, conhecida como Guerrilheiro Heróico, onde aparece seu rosto com a boina negra olhando ao longe, foi tirada por Alberto Korda em cinco de março de 1960 quando Guevara tinha 31 anos num enterro de vítimas de uma explosão. Somente foi publicada sete anos depois. O Instituto de Arte de Maryland- EUA denominou-a "A mais famosa fotografia e maior ícone gráfico do mundo do século XX". A imagem mais reproduzida de toda a história expressa um símbolo universal de rebeldia, em todas suas interpretações.

omayra

Omayra Sanchez foi uma menina vítima do vulcão Nevado do Ruiz durante a erupção que arrasou o povoado de Armero, Colômbia em 1985. Omayra ficou três dias jogada sobre o lodo, água e restos de sua própria casa e presa aos corpos dos próprios pais. Quando os paramédicos de parcos recursos tentaram ajudá-la, comprovaram que era impossível, já que para tirá-la precisavam amputar-lhe as pernas, e a falta de um especialista para tal cirurgia resultaria na morte da menina. Omayra mostrou-se forte até o último momento de sua vida, segundo os paramédicos e jornalistas que a rodeavam.Durante os três dias, manteve-se pensando somente em voltar ao colégio e a seus exames e a convivência com seus amigos. O fotógrafo Frank Fournier, fez uma foto de Omayra que deu a volta ao mundo e originou uma controvérsia a respeito da indiferença do Governo Colombiano com respeito às vítimas de catástrofes. A fotografia foi publicada meses após o falecimento da garota. Muitos vêem nesta imagem de 1985 o começo do que hoje chamamos Globalização, pois sua agonia foi vivenciada em tempo real pelas câmaras de televisão de todo o mundo.

meninavietnam

“Em oito de junho de 1972, um avião norte-americano bombardeou a população de Trang Bang com napalm. Ali se encontrava Kim Phuc e sua família. Com sua roupa em chamas, a menina de nove anos corria em meio ao povo desesperado e no momento, que suas roupas tinham sido consumidas, o fotógrafo Nic Ut registou a famosa imagem. Depois, Nic levou-a para um hospital onde ela permaneceu durante 14 meses sendo submetida a 17 operações de enxerto de pele. Qualquer um que vê essa fotografia, mesmo que menos sensível, poderá ver a profundidade do sofrimento, a desesperança, a dor humana na guerra, especialmente para as crianças. Hoje em dia Pham Thi Kim Phuc está casada, com dois filhos e reside no Canadá onde preside a Fundação Kim Phuc, dedicada a ajudar as crianças vítimas da guerra e é embaixadora da UNESCO.”

foto04

"O coronel assassinou o preso; mas e eu... assassinei o coronel com minha câmera?" - Palavras de Eddie Adams, fotógrafo de guerra, autor desta foto que mostra o assassinato, em um de fevereiro de 1968, por parte do chefe de polícia de Saigon, a sangue frio, de um guerrilheiro do Vietcong. Adams, correspondente em 13 guerras, obteve por esta fotografia um prêmio Pulitzer; mas ficou tão emocionalmente tocado com ela que se converteu em fotógrafo paisagístico.

O homem do tanque de Tianasquare - Jeff Widener

Também conhecido com o Rebelde Desconhecido, esta foi a alcunha que foi atribuído a um jovem anônimo que se tornou internacionalmente famoso ao ser gravado e fotografado em pé em frente a uma linha de vários tanques durante a revolta da Praça de Tiananmen de 1989 na República Popular Chinesa. A foto foi tirada por Jeff Widener, e na mesma noite foi capa de centenas de jornais, noticiários e revistas de todo mundo. O jovem estudante (certamente morto horas depois) interpôs-se a duas linhas de tanques que tentavam avançar. No ocidente as imagens do rebelde foram apresentadas foto como um símbolo do movimento democrático Chinês: um jovem arriscando a vida para opor-se a um esquadrão militar. Na China, a imagem foi usada pelo governo como símbolo do cuidado dos soldados do Exército Popular de Libertação para proteger o povo chinês: apesar das ordens de avançar, o condutor do tanque recusou fazê-lo se isso implicava causar algum dano a um cidadão...

foto10

Thich Quang Duc, nascido em 1897, foi um monge budista vietnamita que se sacrificou numa rua movimentada de Saigon em 11 de junho de 1963. Seu ato foi repetido por outros monges. Enquanto seu corpo ardia sob as chamas, o monge manteve-se completamente imóvel. Não gritou, nem sequer fez um pequeno ruído. Thich Quang Duc protestava contra a maneira que a sociedade oprimia a religião Budista em seu país. Após sua morte, seu corpo foi cremado conforme tradição budista. Durante a cremação seu coração manteve-se intacto, pelo que foi considerado como quase santo e seu coração foi transladado aos cuidados do Banco de Reserva do Vietnã como relíquia.

Kevin Carter

Em 1994, o fotógrafo Kevin Carter ganhou o prêmio Pulitzer de foto jornalismo com uma fotografia tomada na região de Ayod (uma pequena aldeia em Suam), que percorreu o mundo inteiro. A figura esquelética de uma pequena menina, totalmente desnutrida, recostando-se sobre a terra, esgotada pela fome, e a ponto de morrer, enquanto num segundo plano, a figura negra de um abutre se encontra espreitando e esperando o momento preciso da morte da garota. Quatro meses depois, abrumado pela culpa e conduzido por uma forte dependência às drogas, Kevin Carter suicidou-se.

foto13

Esta fotografia do triunfo dos aliados na segunda guerra, onde um soldado Russo agita a bandeira soviética no alto de um prédio, demorou a ser publicada, pois as autoridades Russas quiseram modificá-la. A bandeira era na verdade uma toalha de mesa vermelha e o soldado aparecia com dois relógios no pulso, possivelmente produto de saque. Sendo assim foi modificada para que não ficasse feio para os soviéticos.

dte

A foto acima foi feita no dia 20 de julho de 1969, mesmo da transmissão ao vivo pela televisão para todo o mundo do momento em que um homem – o comandante da missão, Neil Armstrong – pisou pela primeira vez na Lua.

Fontes:

http://www.guiadelojas.com/fotografia/historia_fotos_historicas.html

http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI4025372-EI238,00-Unica+foto+da+viagem+ao+Polo+Sul+e+encontrada+na+Australia.html

http://www.ruinelson.net/2007/09/14/fotos-que-fizeram-historia-a-agonia-de-omayra/

http://www.ruinelson.net/2007/09/17/fotos-que-fizeram-historia-a-menina-do-vietna/