Moscas Mortas Revolution – Página Inicial

1984 e muitas reflexões…

Posted in cidadania, Política by leonardomeimes on 17/02/2010

Quanto da nossa liberdade é verdadeira? Finalmente vi o filme 1984, quem sabe leio o livro, e confesso que fiquei bem pensativo ao fim dele. Primeiramente pela idéia de que a própria rebeldia contra o sistema, seria algo previsto por este e criado por este para que existam exemplos do que “não fazer” dentro do sistema, além de manipular a consciência da massa. Ai me lembro de algumas situações bem enraizadas em nossa cultura e sociedade que talvez advenham de tal manipulação.

Já pensou que a única forma do governo lidar com problemas de violência e crime organizado é com a violência? Dificilmente vemos o governo entrar com ações humanistas de formação, infraestrutura, criação de condições de trabalho e de sustentação para essas comunidades. O que vemos é um “humanitarismo”, diferente de humanismo, de pequenas ONGs que pouco conseguem fazer em relação ao trabalho necessário para mudar uma realidade. De que adianta então a violência por parte do governo? O governo luta há muitas décadas com o crime nas zonas pobres, porém parece não querer erradicar de vez esse problema e acaba criando uma situação de sítio duradoura nessas comunidades. O que ganha com isso eu não sei, mas pode-se especular.

Com a mídia e a atenção do povo voltada à preocupação constante com o crime, delitos como corrupções, exploração da mão de obra, trabalho infantil, prostituição infantil, além de problemas na educação e saúde parecem perturbar muito menos, afinal todos temos medo de sair a noite sozinhos de casa, mas não temos tanto medo assim ao ver um país rico como o nosso ser destratado pelos políticos e pelos poucos ricos. Além disso a violência e o “terror” tem sido tema de mobilização da atenção das massas em todo mundo. Nos EUA, o medo do terrorismo serviu à candidatura de Bush, ao assalto ao Iraque e Afeganistão, aos preços aumentados do petróleo… Enquanto a população é distraída com problemas que o estado evita resolver, outras realidades são escondidas.

Também ao ver o filme percebi que não temos escolhas, não somos de todo livres e que somos escravos em um sistema de exploração da mão de obra que se esconde atraz do capital. Enquanto estamos absortos numa preocupação constante com a violência, esquecemos que somos violentados dia a dia. Somos escravos. Quando acordamos às 6 da manhã para ir trabalhar, temos que almoçar no restaurante mais próximo, nem sempre o mais barato ou o que tem a comida que queremos, quando ficamos até 6 da tarde em função do Chefe e quando vamos para casa estamos tão cansados que dificilmente temos paciência de encarar algo que nos faça pensar… ai os programas bestializadores da TV servem de consolo. Uma verdadeira lavagem cerebral.  O dinheiro não é recompensa, pois no capitalismo só seremos contratados se há a certeza de que nosso trabalho renderá 100% e que só receberemos 50% do que ele vale, assim o lucro vai para o patrão. Assim somos pelo menos 50% escravos.

Porém os dias passam rápido e a consciencia do absurdo não nos ocorre, temos mais o que pensar… Quem foi eliminado do Big Brother? Quem ganhou o carnaval do rio? Você viu o fashion week? O novo clipe da Lady Gugu-dada? O novo CD da Xuxa? Quem foi assaltado esta semana? E assim por diante.

E do amor gritou-se o escândalo
Do medo  criou-se o trágico
No rosto pintou-se o pálido
E não rolou uma  lágrima
Nem uma lástima para socorrer
E na gente deu o hábito
De  caminhar pelas trevas
De murmurar entre as pregas
De tirar leite das  pedras
De ver o tempo correr...

(Trecho de Rosa dos Ventos, Chico Buarque)

Parece que para nós a amargura do mar é eterna, a amazônia continuará secando, e a multidão está longe de seu despertar.

Leonardo Meimes

Anúncios

8 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. hugo said, on 17/02/2010 at 17:41

    interessante, ja leu o livro dele entitulado “A revolta dos bichos” ?

    interessante tambem!

    • leonardomeimes said, on 17/02/2010 at 17:50

      Pois pois, não li.. mas tenho interesse apenas não tenho muito pique para leitura. Maldita Internet, toma todo o nosso tempo com bobagens ahahahha

  2. tartaruguinha said, on 21/02/2010 at 23:25

    Você fica triste com isso ou mais revoltado? 😦
    Não esqueça da sua revolta e de lutar, mas veja também as coisas bonitas…
    Achei lindo o trecho do Chico Buarque 🙂
    Bjim

    • leonardomeimes said, on 22/02/2010 at 08:13

      Dear Turtle, fico revoltado, =D, e não consigo ficar quieto ^^. Mas ainda tenho pouco o que fazer em coisas tão grandes. Quem sabe pela música ou pela literatura eu não tente mostrar um pouco isso.

  3. wenderson said, on 28/01/2012 at 18:01

    tem a marcha parada gay, jogos brasileirao,finais libertadores, shows etc… e vc ve milhares de pessoas acompanhando.

    na politica vc ve o que? é o q eles querem mesmo!.
    todo mundo burro,.

    como dizia raulzito se eu fosse burro nao sofreria tanto.

  4. wenderson said, on 28/01/2012 at 18:02

    ok.

  5. Bruno de Toledo said, on 13/02/2014 at 22:53

    Interessante seu comentário a respeito do capitalismo e do consumismo, pois o livro trata justamente de um regime comunista, onde muitos, erroneamente, se prendem a este como fator determinante para os dilemas enfrentados pelo protagonista. Em nenhum momento sua reflexão ataca o comunismo, mas sim o sistema, e isso se aproximou das minhas reflexões a respeito da obra.

    Interessante também refletir a respeito da escravidão que vivemos, e se me permite, gostaria de fugir um pouco da maneira que tocou no assunto e me aventurar em outra linha: seriamos nós simplesmente 50% escravos do capitalismo por dedicar nossa mão de obra para progressos de terceiros ou 100% por acreditar que dependemos daquilo que não temos? Cabe uma reflexão acerca do consumismo e de como ele em si é tanto determinante para nosso estado servil como ao mesmo tempo uma opção, da qual inconscientemente adotamos.

    • leonardomeimes said, on 14/02/2014 at 09:55

      Por isso que eu disse pelo menos 50%, mas realmente o consumismo escraviza e pode ser considerado tanto como um meio como um fim para quem está no poder. Por ele eles controlam, manipulam e extorquem agente kkk


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: