Moscas Mortas Revolution – Página Inicial

Voltaire e a Literatura Policial p.4

Posted in Educação, Literatura by leonardomeimes on 10/08/2009

O raciocínio de ligação entre as marcas deixadas pelos animais e a imagem provável dos animais que Zadig cria é uma forma de raciocínio dedutivo onde se percebe o que Sodré (1985:29) define como “atividade cerebral privilegiada”, decorrente do raciocínio e das informações. A partir das marcas das ferraduras a distâncias iguais, Zadig descobriu que se tratava de um cavalo, animal que usa ferradura, o que já traz uma solução para a poeira que havia sido varrida dos troncos: o rabo do cavalo. Encaixando as marcas deixadas ele constrói uma conclusão do físico dos animais e descreve também os materiais de montaria. Em outro trecho do conto, no capítulo chamado Os Enigmas, Zadig responde a enigmas criados por um mago como parte do torneio para ser o rei da Babilônia, aparentemente o raciocínio usado segue também uma lógica e Zadig, ajudado por sua inteligência, responde a todos os enigmas com respostas eloqüentes, a exemplo:

 

misterio1“— Qual é, de todas as coisas do mundo, a mais longa e a mais curta, a mais rápida e a mais lenta, a mais divisível e a mais extensa, a mais negligenciada e a mais irreparavelmente lamentada, que devora tudo o que é pequeno e que vivifica tudo o que é grande?”

“…Zadig disse que era o tempo. ‘Nada é mais longo — acrescentou ele, — pois que é1200832225631_bigPhoto_0 amedida da eternidade; nada é mais curto, pois que falta a todos os nossos projetos; nada mais lento para quem espera; nada mais rápido para quem desfruta a vida; estende-se, em grandeza, até o infinito; divide-se, até o infinito, em pequenez; todos os homens o negligenciam, todos lhe lamentam a perda; nada se faz sem ele, faz esquecer tudo o que é indigno da posteridade, e imortaliza as grandes coisas’. A assembléia deu razão a Zadig.” (Cap. 19 – Os Enigmas)

pinkpanter Mais uma vez Zadig usa as informações colhidas, desta vez de seu interlocutor, para juntar as “peças” e resolver o quebra-cabeças. Sua resposta, como muitas respostas a casos de detetives liga passo a passo as informações com a solução sugerida, evitando que a solução pareça injustificada ou incoerente. Este é um dos motivos pelo qual o leitor acaba se prendendo mais a história policial, a solução do caso, enigma ou “charada” está sempre nos elementos do texto, tendo o leitor uma oportunidade de ir ligando os fatos no correr da história e após isso confirmar suas suspeitas com a solução dada pelo detetive.

Esses trechos do conto Zadig claramente mostram o primeiro personagem da ficção a desenvolver estas características do romance policial, mais precisamente do detetive. Porém outras características do personagem de Voltaire podem ser vistas também nos detetives do romance policial.

 

E isso será visto na 5º parte, em que citaremos Sherlock Holmes e outros.

 

Fotos interessantes

Fonte: http://tecnologia.terra.com.br/galerias/0,,OI105938-EI4795-FI1290246,00.html

Golfinho + Banana

 

1290242-8041-ga

Sapo + Laranja

1290239-8035-ga

 

 

Leonardo Meimes

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: