Moscas Mortas Revolution – Página Inicial

Rio de Janeiro III

Posted in História by RogBriNas on 23/06/2009

Minha intenção nesse post é fazer com que ele fique mais dinâmico que o último, mesmo porque naquele eu dei muita informação pra poder chegam aqui. Chegamos a ver o que aconteceu com a cidade maravilhosa até 1808, quando a família real chegou ao Brasil, mais precisamente no Rio de Janeiro. Quais foram os benefícios e os malefícios disso pra cidade e pro país? Bem, uma coisa eu já posso dizer, na época o Brasil não era um país, e sim uma colônia, isso quer dizer que éramos o quintal de Portugal.

 

D. João ficou instalado por 13 anos aqui com sua família aqui, gostaria de lembrar que não era apenas a família que o acompanhava nessa “viagem”, mas toda a corte que vinha com ele. Nesse tempo ele criou no Rio diversas instituições que acrescentaram muito à cidade. Foram elas: o Jardim Botânico (nele ficavam as plantas trazidas para o Brasil para que elas se ambientassem e depois serem mandadas para São Cristóvão, ou ficavam ali mesmo); o Real Gabinete Português de Leitura; o Teatro São João (conhecido hoje como João Caetano); a Biblioteca Nacional e outros. Um detalhe muito interessante com a chegada do imperador em relação às novas infra-estruturas é que no ano da sua chegada já foram criados alguns cursos superiores no Brasil, isso quer dizer que a estrutura educacional e/ou cultural teve uma atenção que não existia. E mesmo sendo apenas cursos improvisados, com um professor que ensinava com seus próprios meios e em lugares também improvisados, esses cursos se tornaram foram o que deram base para nossas faculdades de hoje. Por exemplo, as “cadeiras” de anatomia e de cirurgia deram base para as faculdades de medicina e de farmácia que existem hoje. Existiu também a “cadeira” de engenharia, que da mesma forma foi o embrião da nossa engenharia atual.

Passados os 13 anos, Dom João voltou para Portugal deixando Dom Pedro como regente. Foi nessa época que Carlota Joaquina, casada com dom João e mãe de Pedro I, voltou também para o velho mundo. Ela odiava o Brasil, assim que embarcou de volta, tirou os sapatos e disse “Nem nos calçados quero como lembrança da terra do maldito Brasil”. A família real não levou como lembrança a terra do Brasil, levaram sim mais de 50 milhões de cruzados levados escondidos do Banco do Brasil, esse valor era grande parte do Tesouro Real Brasileiro.

A mão de obra da época era na maior parte escrava, o movimento constitucionalista estava forte, o príncipe regente declarou a Independência do Brasil em 1822, abdicou em 1831, ficando seu filho, D. Pedro II como novo regente. A cidade foi convertida, no ano de 1834, em Município Neutro, passando a província do Rio de Janeiro a ter Niterói como capital.

Como centro político do país, o “Rio” concentrava a vida político-partidária do império. Foi palco principal dos movimentos abolicionista e republicano na metade final do século XIX. Durante a República Velha, com a decadência de suas áreas cafeeiras, o estado perde força política para São Paulo e Minas Gerais. (alguém já ouviu falar em política do Café com Leite?)

Em 1888 foi abolida a escravatura, a princesa Isabel assinou a lei Áurea no prédio do Paço Imperial.

As favelas começaram a se formar nessa época, em 1897 os soldados que foram para a guerra de Canudos deixaram de receber o soldo, sem dinheiro se instalaram no morro da Providência. O nome favela se dava ao morro aonde aconteceu a guerra de Canudos.

Muitos imigrantes europeus chegavam ao Brasil à procura de trabalho. Existiam também os escravos libertos que não tinham nem dinheiro e nem lugar para se instalar e se dirigiam à capital, toda essa gente que chegava fazia com que a cidade crescia rapidamente e desordenadamente. Assim fica fácil entender os motivos de ter tanta favela no Rio de Janeiro, essa população pobre se dirigia para a capital do império. As reformas urbanas promovidas pelo então prefeito da cidade Pereira Passos entre 1902 e 1906, período conhecido como “Bota-abaixo”, destruiram cerca de 1.600 velhos prédios residenciais, a maioria composta de habitações coletivas insalubres (cortiços) que existiam nas áreas centrais do Rio de Janeiro. Estas pessoas são expulsas para a periferia da cidade que, no caso, consiste basicamente de morros; o que também contribuiu para o aspecto atual das favelas.

Bom, não é fácil escrever sobre a história tão rica de detalhes de uma cidade como o Rio de Janeiro. Além de mais conhecimento eu precisaria de um lugar apropriado, sem dúvida seria um livro de interesse sem igual e que serviria de base pra muitos estudos sobre a história do Brasil. Gostaria apenas de lembrar que eu não sou um historiador, e sim um curioso, quem achar que alguma coisa aqui está errada pode falar, só que tem que provar. 🙂

Espero ter provado de alguma maneira também o porquê a cidade do Rio de Janeiro é tão violenta, são muitos anos de chegada da pobreza vindo de muitos os lados, e, apesar de ser uma cidade onde se chegava tudo de novo no país, também era uma cidade onde as pessoas vinham buscar soluções, e o mesmo evento acontece hoje em dia com as cidades que se destacam em algum campo, ou que começa a aparecer no campo de trabalho trazendo maiores condições. Essas incham e se tornam violentas.

Esse texto é de autoria de Rogerio Brigido, o “RogBriNas”.

Tagged with:

7 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. leonardomeimes said, on 23/06/2009 at 10:02

    Muito legal, pena que eu não consigo escrever algo sobre a história de Curitiba hahahahahaha. É tão interessante descobrir sobre os lugares, eu tenho um hobbie de procurar saber sobre a história de países principalmente os países que foram assolados por ditaduras e guerras. Esses países tem muita história para contar.

  2. RogBriNas said, on 23/06/2009 at 10:26

    Eu tenho o hobbie de estudar sobre as cidades que eu moro.

    😐

    To pensando em escrever as partes sensuradas dessa história que eu contei no próximo post. MUAHAHAHAHAHA

  3. leonardomeimes said, on 23/06/2009 at 11:03

    =D ahhaha isso é bom =D

  4. Madson said, on 23/06/2009 at 12:03

    Posso ler de novo?

  5. RogBriNas said, on 23/06/2009 at 12:11

    Pode

  6. Alberto said, on 25/06/2009 at 21:55

    Eu também morei no Rio – estive a trabalho entre 1986/87. Trabalhei no prédio da Telerj no centro, próximo à Praça 15 (instalação de equipamentos de telefonia digital)…

  7. RogBriNas said, on 26/06/2009 at 14:07

    Esse japonês é rodado. Já morou em todos os lugares do Brasil, só que eu era criancinha nessa época, tio.

    😀


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: